show episodes
 
Nem todas as letras e músicas tiveram a oportunidade de encontrar-se e serem companheiras para sempre. Assim como na vida acontece com os amores. Letra e música devem também ter outra oportunidade. Uma nova oportunidade, onde vale sempre a pena a procura pela felicidade que nem sempre vem na primeira viagem... então a rasura terá valido a pena. Vou reunir textos e propor novas trilhas para as palavras. Como me propus viver. Sempre em busca de algo que talvez só exista no universo delirante d ...
 
Loading …
show series
 
Sinto-me amputado na voz e nos sentimentos ao escrever esse epílogo. Como poeta e compositor, sinto-me frustrado ao pensar que a obra encerra-se na sua maternidade. Sim é verdade que o Textos & Trilhas nasceu de um momento de inspiração e válvula de escape para a pressão de um momento inusitado. Confinado fisicamente, libertei as amarras da alma e …
 
Pela primeira vez em Inglês. Nem acredito que o fiz! Mas de facto há expressões que não se podem mudar. As palavras tem uma identidade tão forte que a sua tradução torna-se impossível. Mais do que palavras, quis expressar o meu mais profundo sentimento de amor, que uma alma pode experimentar. Amar um filho. A vida brindou-me com a felicidade de ser…
 
Aos 23 anos um jovem cheio de sonhos e projectos, entra num avião da TAP, partindo de Belo Horizonte no Brasil, rumo a Lisboa em Portugal. Era um jovem que como tantos outros sonhava um futuro para o seu país natal. Mas reconhecia a dificuldade de realizar os seus próprios sonhos num país dilacerado por séculos de autoflagelação. Em sua viagem que …
 
Pela primeira vez, em cada regresso à casa, fazer a travessia entre as duas margens da minha vida, fez-me ligar dois temas entre si. Uma espécie de reciprocidade poética. Como na minha vida, refém de duas margens, sempre ligadas e indissociáveis. Pela primeira vez nos Textos & Trilhas, dois temas se entrelaçaram e trocaram suas roupas (episódios 33…
 
As duas margens do meu ser não se poderiam ligar por uma ponte, senão pela alma dos artistas que compõem as estradas que atravessamos. Umas vezes a cantar, outras a sorrir, mas algumas vezes a chorar. Choro que não traz tristeza e sim emoção. Alegria, esta indizível emoção que permite trazer dentro do mesmo peito, as duas margens tão distantes de u…
 
A fortuna de um homem é o tamanho do seu sonho. O amor não é uma utopia, para quem nutre de afeto os ambientes em que se move. Se alguma vez te perguntarem se o amor não é uma utopia, compreenda. E se a dúvida recair sobre a razão de uma utopia, traduza-a. Utopia é um propósito, uma causa. Não buscamos todos os dias essa utopia, por que vai dar cer…
 
Eu posso dizer que não sinto o tempo passar, mas na verdade os hippies já não são e os punks já foram. O Rock, esse nunca deixou de roll-ar. Mais do que um estilo musical é uma escolha de vida. Os rockeiros já não são cabeludos desgrenhados. Alguns já são mesmo carecas e outros, grisalhos. Mas a alma que nos move, mesmo que as rugas na face o prove…
 
Perguntei ao Renato Teixeira: Qual é maneira da vida brilhar? Ele disse: Acendendo a fogueira. Pegando uma estrela e jogando no mar! Perguntei se a verdade é mentira e se o corpo que gira bambeia no ar? Ele disse: É o som dessa lira que traz alegria pra gente cantar. Perguntei se o que passa retorna? Ele disse: O que foi nunca mais vai voltar. Mas …
 
Os laivos de imagens, onde até sinto os cheiros das ruas, sinto o vento, lembranças do tempo em que aprendi a ser feliz. Se hoje trago comigo um sorriso, aprendi na infância. Cercado por montanhas, minadas de ferro, vermelhas como a febre da adolescência que apagava o fogo nas cascatas e lagos, das Minas Gerais. Brincadeiras de rua, de pés descalço…
 
Elvis e Frank imortalizaram as palavras de Paul, Jacques e Claude. Um momento por que certamente passaram eles e passaremos todos. Sentados no alto de uma montanha, olhamos a estrada que traçamos e calcorreamos. Sem pudores, sem julgamentos. Apenas a partilhar com quem nos vá na alma, nesse instante, um olhar sobre a própria história. Não é um tris…
 
Vasculhando as imagens da minha memória, deparei-me com um poster, uma guitarra, uma farta cabeleira e a imagem de um amigo a fitar essa foto. Tínhamos perto de 15 anos. Os sonhos e a alegria da adolescência povoava nossos caminhos. Ele, marcado pela imagem da música. Eu pela força das palavras. Ele, Peter Frampton. Eu, Oswaldo Montenegro. Uma amiz…
 
Quando se encontram Chico e Carlos, pelas notas de Paulo e Fernando, o Atlântico une, não separa. Para quem sente o amor da segunda pátria, qual família de adopção, sabe do sentimento que liga esta história. Mátria, casa, acolhimento, pertença. É a mistura de sentimentos dos amores de quem paira entre dois pontos de um mesmo rio, quando o Amazonas …
 
O Renato Russo não teve tempo e eu, sinto que não tenho tempo a perder. Percebi a olhar para a linha do tempo, o perfil da montanha da vida e constato em êxtase que já passei o cume. A subida foi enérgica, por vezes dura. As agruras do cansaço são bem mais doces do que o sangue amargo que deixei nalgumas pedras. Agora, não tenho mesmo mais, o tempo…
 
A beleza do mar num encontro a três. Pela primeira vez, encontram-se três ícones que como afluentes de uma história comum, convergem e desaguam num mar salgado pelas lágrimas de uma dor desmedida. A dor de quem vai e a dor de quem fica. Sucumbem ante a força inexorável da natureza que cobra em vidas, as marcas dos rasgos que fazem os barcos, no esp…
 
Uma ponte sobre o Atlântico. O retrato do tempo reflete-se na cultura. O tempo passa pela cultura sulcando a história da arte. A arte repete no tempo a história da cultura. Estes elementos remetem à memória de tempos que se repetem, traiçoeiros, recorrentes, intragáveis e indeléveis. As marcas deixadas nos homens que marcaram a história do seu temp…
 
Quando a audácia reflete mais que as palavras, a ousadia irrompe bravia pelo desafio de ultrapassar os ícones, ou é maturidade ou pura inocência. Seja de que for feito o desafio, os textos são de quem os toma e as trilhas de quem com elas vibra. Este imortal José Carlos Ary dos Santos, uma das minhas referências poéticas mais intocáveis, merecia um…
 
Os amores e suas quimeras... Manter a esperança e a crença no sentimento que todos gostariam de experimentar, mas acima de tudo receber, é um exercício de sobrevivência e superação permanente. Por vezes as razões para sonhar esvanecem e deixam o amor fenecer. Mas as palavras do poeta, ornamentam os entornos da vida, realçam o superlativo do belo qu…
 
A pressa de chegar em cada viagem, em cada ausência, faz a saudade apertar. A premência de estar é maior que os escolhos no caminho da presença. É a ausência como uma vergastada, que abre olhos e caminhos para verdadeira magnitude da presença. A estrada é longo e atribulada, mas a calma e a paz da chegada, são o bálsamo e a pedra de toque. Luis Gon…
 
Se um dia encontrares uma luz nos olhos de alguém que te faça incendiar, então não resistas e faça como o Poeta Vinicius. Deixe-se levar. Deixa o Texto encontrar outra Trilha e que o fogo desse olhar seja a nova centelha, não resistas e não deixe o paradigma dos amores vividos e perdidos, impedir-te de sonhar. --- Send in a voice message: https://a…
 
Chegamos ao episódio onde o Texto descreve a música e a Trilha canta o Texto. Encantam-se um pelo outro. Esta simbiose que é um regalo de vida onde meus dedos saltam do teclado para as cordas e quando regressam, transformam as letras em notas, as linhas em pautas, o encontro em canção. Essa é a essência deste podcast. Uma dose semanal de emoção. --…
 
A celebração do amor quando acontece, suave e delicado como os castelos em areia, recupera devaneios. As sombras crescem e alongam-se até ao clímax do ocaso. Quando o sol se esconde na linha do horizonte é varrido pela escuridão da noite. As ondas vem e apagam as memórias desfazem-se os castelos na areia. No dia seguinte, nova luz, areal em branco.…
 
Sem pudores nem concessões ao politicamente correcto, os amores são sempre feridos da Síndrome de Poliana. Em certa medida, as paixões aportam até um complexo de Cinderela. Mas por que é que não se pode sonhar. Afinal a vida imita a arte ou a arte imita a vida? É bom ser audaz e desafiar os tratados relacionais, e vender sonhos em doses moderadas d…
 
Quando completei um mês de reclusão auto-imposta, era bombardeado por companheiros de cárcere que distantes dos olhos, mantinham-se perto o suficiente para que a sua energia cessante, clamasse por uma boa dose de reforço positivo. Já por muitos momentos da minha vida, deparei-me com textos do Oswaldo Montenegro que pareciam ter sido enviados pelo U…
 
Sim, é verdade. A década de 70 do século XX, foi uma década de ligação. Foi nessa década que descobri o amor embalado pelos trinados de teclados que marcavam o ritmo dos corações com seus vibratos exuberantes. Mas foram precisos muitos anos, para que um poema de amor do século XXI se encontrasse com uma música do mesmo século, num enlace de cores t…
 
O novo paradigma das relações, passa-se num mundo que não existe, mas que reluz de forma inebriante. Marina e Cláudio conheceram sem nunca se ter conhecido. A valsa que embala esse conto moderno, revela que apesar da tecnologia, nada mudou nas relações humanas. A sedução e o encantamento descobriram novos trilhos para os mesmos contextos. O casal d…
 
Quando eu soube da sua existência, alguma coisa mudou. Não estava ao seu lado, mas ela nunca mais saiu do meu. A primeira das três filhas, não veio de mim, veio para mim. Fui ao seu encontro na foz da sua vida. Mal pressentiu a minha chegada, esticou os braços e veio ao encontro da nossa história. Embora a vida nos mantivesse juntos a espaços, noss…
 
Numa tradução livre do clássico Bridge over Troubled water de Simon and Garfunkel, a minha leitura de uma viagem em águas revoltas. Ser pai e amigo é responsabilidade a dobrar. Ser pai é aninhar, ser amigo é amparar. Ser pai é ser porto seguro. É ser a ponte que se ergue para atravessar os rios turbulentos na longa caminhada, mas acima de tudo, a m…
 
Aos 15 anos, tenho a sensação de que o tempo muda. Entramos noutra dimensão. A memória dos meus 15 anos era ainda tão presente quando a minha filha mais nova lá chegou, que sem estar preparado, apercebi-me que se fechava de vez para mim. Naquele instante, me dei conta de que já não haveria mais andar com as filhas ao colo. Não haveria mais os serõe…
 
Loading …

Guia rápido de referências

Google login Twitter login Classic login