show episodes
 
Podcast Ofício das Leituras Canal com 'áudios-leitura' diários dos riquíssimos textos da Patrística, Tradição e Magistério retirados da segunda leitura do Ofício das Leituras da Liturgia das Horas. Distribuímos este podcast pelo Telegram, Soundcloud, Spotify, Deezer, Facebook, Blog, Feed e Whatsapp. Esse projeto sobrevive de doações. Ajude a continuarmos esse trabalho adquirindo nossos livros digitais, ou na vaquinha, ou no apoia-se, ou ainda no PicPay. Acesse todas as plataformas e informaç ...
 
Loading …
show series
 
Continuamos na intimidade do colóquio entre Nosso Senhor e Nicodemos, um dos sinedritas e chefes da comunidade judaica. Tendo ouvido falar do novo profeta, cuja fama já corria por Jerusalém, Nicodemos deseja conhecer de perto aquele homem cercado de mistérios e boatos. Prudente, julgou melhor ir ter com Ele quando já era noite. Embora a fé ainda nã…
 
O Evangelho de hoje nos mostra que, para entrar no Reino de Deus, é preciso nascer “de novo” ou, numa segunda leitura possível, “do alto”. Mas como — podemos perguntar com Nicodemos — alguém é capaz de nascer outra vez, se já é velho? A resposta que o Senhor dá acentua não só o efeito de regeneração que o Batismo opera em nós, mas também a necessid…
 
Durante toda a história da Igreja o Domingo da Oitava de Páscoa sempre foi celebrado com muita festa e solenidade. Mas, nos últimos tempos, por meio da aparição de Nosso Senhor a uma freirinha desconhecida, num convento esquecido “do fim do mundo”, Deus pediu que esse domingo fosse celebrado com especial alegria e exultação, tanto no Céu quanto na …
 
A dificuldade inicial de São Tomé para crer na ressurreição de Jesus é uma ótima ocasião de refletir sobre a atual “cultura da dúvida”. Apesar de o homem moderno se gabar da própria incredulidade, a verdade é que, na prática, é impossível viver sem fé. Desde os que cozinham a nossa comida, passando pelos médicos que nos examinam, até os engenheiros…
 
De todas as pessoas a quem Jesus poderia aparecer depois de ressuscitado, Ele quis mostrar-se primeiro, não a Pedro nem a João, não a Caifás nem a Pilatos, nem mesmo a Maria, sua Mãe, mas a outra Maria, a Madalena. Foi a uma mulher, cujo testemunho nenhum valor jurídico tinha na época, e a uma que fora possuída por sete demônios e por muitos anos v…
 
Muita gente quebra a cabeça perguntando-se por que não consegue converter as pessoas de sua casa. Afinal, se vamos à igreja, damos catequese, participamos de mil e uma pastorais, por que é justamente a nossa família a que não se converte? O que nos tem faltado, se já são tantos os nossos esforços? É o que o Evangelho de hoje nos quer responder.Assi…
 
Para uns, a Ressurreição é um escândalo ou, quando menos, uma invenção de uns lunáticos. Para outros, é uma grande notícia, não por ser verdadeira, mas pelo que simboliza: Cristo vive, sim, mas “em nossos corações” e na “causa” a que deu o pontapé inicial. Nada disso, porém, é a verdadeira fé católica, para a qual o Filho encarnado, sendo Deus, exp…
 
Abatidos, os discípulos de Emaús voltam hoje a seu povoado, quase a arrastar os pés pela estrada empoeirada, frustrados em suas expectativas, tristes pelo “fim” trágico do Senhor, sem entender como tudo aquilo pôde acontecer… Mas Jesus aproxima-se deles e, sem se dar a conhecer, tira-os da tristeza abrindo-lhes a inteligência para a única resposta …
 
O Evangelho de hoje nos narra a primeira aparição de Nosso Senhor, feita a um dos corações que mais se deixou transformar pelo amor de Cristo. Trata-se do coração de Maria Madalena, para quem Jesus era tudo, e o mundo menos do que nada. Convertida de uma vida de pecado, ela descobriu com tal profundidade o quão suave é o Senhor que nem os anjos do …
 
A Páscoa é tempo de alegria, mas não da alegria com que muitos se despedem do Tempo Comum antes de entrar na Quaresma, isto é, do júbilo bobo que marca os tristes excessos do Carnaval. A alegria da Páscoa não é a da carne, que nunca se satisfaz e por isso está sempre descontente, nem a das mesas bem servidas, que fartam para deixar no fim somente m…
 
Chegou enfim a noite da glória, a noite das luzes! Noite da glória para o Redentor, que mereceu por sua Paixão ser triunfantemente ressuscitado; noite de luzes para os redimidos, que pelos méritos da cruz foram tirados das trevas do pecado e trazidos à claridade da vida divina. Noite da glória do Redentor, que ressuscitado torna a todos manifesta s…
 
Como irá esta geração perversa entender a grandeza do sacrifício de Cristo, satisfação completa, superabundante e universal à justiça divina por nossos pecados, se já não crê nem que Deus seja justo, mas apenas uma misericórdia frouxa, nem que o pecado seja real, mas somente um sentimento ou complexo de culpa? Como restituir a seu primitivo candor …
 
A Liturgia da Quinta-feira Santa é dedicada a dois sacramentos intimamente vinculados: de um lado, a Santíssima Eucaristia, renovação incruenta do único sacrifício oferecido por Cristo no altar da cruz e presença real do Deus encarnado entre nós; de outro, o sacerdócio, pelo qual o mesmo Cristo alimenta continuamente com seu próprio Corpo e Sangue …
 
O Evangelho de hoje nos surpreende com a profunda humildade dos Apóstolos: “Serei eu, Senhor, quem vos há de trair?”, pergunta um após o outro, todos cheios de aflição e tristeza. Confiam, sim, mais na palavra de Cristo do que em suas próprias consciências. E nós? Temos desconfiado de nós mesmos? Somos capazes de reconhecer que, sem a graça, somos …
 
Será que não temos algo de Judas: uma aparência externa de Apóstolo igual aos outros, de predileto de Deus igual aos outros, de amigo de Deus igual aos outros, mas, por dentro, estamos vazios de fé, entregues a uma vida de pecado, de corrupção, que nos leva a beijar traiçoeiramente Jesus? Sim, porque toda comunhão sacrílega é sempre um beijo de Jud…
 
Quando somos tentados pelo diabo a cometer um pecado, o que é que ele faz? Tira a nossa vergonha, para que não nos envergonhemos de pecar; mas quando, depois do pecado, nos vem a inspiração de procurar a Confissão, o que faz o diabo? Devolve-nos a vergonha, para que nos envergonhemos de nos confessar! S. Francisco de Sales, porém, nos recorda que n…
 
Como o autor do terceiro Evangelho canônico, João Marcos, foi discípulo do primeiro Papa, o relato da Paixão por São Marcos nada mais é que a Paixão de Nosso Senhor através do olhar e a partir das lembranças de São Pedro. É, pois, o Príncipe dos Apóstolos que nos toma pela mão neste Domingo de Ramos, apresentando-nos os últimos instantes da vida de…
 
Os acontecimentos que iremos celebrar nos próximos dias, com o Domingo de Ramos e a Semana Santa, têm por agentes diretos pessoas que, na verdade, não são os reais protagonistas da história. Caifás pecou por conta própria, instigado por Satanás. Também são responsáveis por seus atos Herodes, Pilatos, os soldados e Judas. No entanto, Deus, que em su…
 
ANUNCIAÇÃO DO SENHOR Segunda leituraDas Cartas de São Leão Magno, papa(Epist. 28, ad Flavianum,3-4: PL 54,763-767)(Séc.V)O sacramento da nossa reconciliaçãoA humildade foi assumida pela majestade, a fraqueza, pela força, a mortalidade, pela eternidade. Para saldar a dívida de nossa condição humana, a natureza impassível uniu-se à natureza passível.…
 
No Evangelho de hoje, os judeus pegam em pedras para apedrejar Jesus porque, dizem, Ele “se iguala a Deus”. Na verdade, sabemos que Jesus não é “um homem que se fez Deus”, Ele é Deus que se fez homem, e isso muda tudo. E se os fariseus se escandalizavam com a doutrina da Encarnação, que não pensariam eles da verdadeira santificação, pela qual o hom…
 
Hoje, solenidade da Anunciação do Senhor, somos colocados diante de dois grandes modelos de obediência. Aqui na terra, temos o “sim” de Nossa Senhora ao convite do Anjo; no alto dos céus, temos o “sim” de Nosso Senhor à vontade do Pai. Foi por estes dois atos de amorosa submissão que entrou no mundo Aquele que, despojando-se de si mesmo e fazendo-s…
 
Uma falsa noção de liberdade foi a arma usada pelo demônio para enganar nossos primeiros pais: “Comei do fruto! Sereis como deuses”, e é ainda a armadilha que ele usa para reduzir os homens à escravidão do pecado. Mas a nossa libertação não está em “fazer o que bem se entenda”, mas em conhecer a verdade, que é Cristo, abraçar cada um a própria cruz…
 
SÃO TURÍBIO DE MOGROVEJO, BISPO Nasceu na Espanha pelo ano de 1538, e estudou Direito em Salamanca. Eleito bispo de Lima em 1580, partiu para a América. Cheio de zelo apostólico, celebrou vários sínodos e concílios que muito incentivaram a vida cristã em todo o território. Defendeu corajosamente os direitos da Igreja, dedicou-se com grande solicitu…
 
No Antigo Testamento, Deus revelou a Moisés o seu nome, “Eu sou”, no meio de uma sarça que ardia sem se consumir. Semelhante revelação é o que veem os olhos da fé, ao contemplarem elevado na cruz o Filho de Deus. Aquela sarça divina, pregada a um novo e mais nobre madeiro, se consome agora até a morte num fogo inextinguível, que é o amor salvífico …
 
O pecado da presunção consiste em desprezar a justiça por uma excessiva e desordenada confiança na misericórdia, como se fosse possível alcançar de Deus o perdão, a graça e a glória por caminhos contrários aos da justiça e sabedoria divinas. Na verdade, o mesmo Deus que prometeu a felicidade do céu aos homens, caso se convertessem, também ameaçou c…
 
“Eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim”: do alto de sua Cruz, Nosso Senhor antecipa o julgamento deste mundo. Mas também nós, católicos, somos chamados a colocar as nossas vidas sob o olhar de Jesus crucificado, através de uma prática que a Igreja recomenda desde tempos imemoriais: o exame de consciência. E, embora devamos nos acost…
 
O Evangelho de hoje nos mostra uma série de controvérsias sobre a identidade de Jesus. Por um lado, todos vêem que Cristo ensina como ninguém jamais ensinou; por outro, não parece que Ele se “enquadre” no que diziam as profecias. Afinal, Cristo vem da Galiléia, enquanto a profecia dizia que o Messias viria de Belém. No meio dessa confusão, os humil…
 
SÃO JOSÉ, ESPOSO DA VIRGEM MARIA Segunda leituraDos Sermões de São Bernardino de Sena, presbítero(Sermo 2, de S. Ioseph: Opera 7,16.27-30)(Séc. XV)Guarda fiel e providenteÉ esta a regra geral de todas as graças especiais concedidas a qualquer criatura racional: quando a providência divina escolhe alguém para uma graça particular ou estado superior,…
 
Nestes tempos tristíssimos, em que tantas moléstias se abatem sem aviso sobre um mundo desesperado e muito afastado do único remédio que pode dar verdadeira saúde, estende-nos hoje a mão o Pai de misericórdias, oferecendo-nos o mais doce consolo, a mais firme proteção e a mais fundada razão de esperança que poderíamos pedir: o nosso amorosíssimo Sã…
 
SÃO CIRILO DE JERUSALÉM, BISPO E DOUTOR DA IGREJA Nasceu de pais cristãos, no ano de 315. Sucedeu ao bispo Máximo na Sé de Jerusalém, em 348. Por causa de sua oposição aos arianos foi mais de uma vez condenado ao exílio. Sua atividade pastoral é testemunhada pelos sermões em que explicou aos fiéis a verdadeira doutrina da fé, a Sagrada Escritura e …
 
A fé é obediência do intelecto à voz de Deus, que se revela. Mas o que impede a fé não é só a soberba de querer pôr-se acima da autoridade divina; também a vaidade de querer agradar aos homens, ainda que sob pena de desagradar a Deus, é um grave obstáculo à fidelidade e à própria salvação. Não, não há outro meio de entrar na glória divina a não ser…
 
SÃO PATRÍCIO, BISPO Nasceu na Grã-Bretanha, cerca de 385; ainda jovem, foi levado prisioneiro para a Irlanda e mandado pastorear ovelhas. Recuperando a liberdade, abraçou o estado clerical e foi eleito bispo da Irlanda. Evangelizou com grande zelo os habitantes daquela ilha, convertendo muitos à fé cristã e organizando aquela Igreja. Morreu nas cer…
 
Deus quer nos dar a bem-aventurança toda, não uma parte dela; Ele quer dar-se a si mesmo por inteiro, sem “reservas técnicas”. Mas se Deus é assim tão generoso conosco, por que teimamos em ser tão mesquinhos com Ele? Queremos dar-nos por partes, sem renunciar de todo ao pecado, como se fosse possível amar “com medida”, conciliando generosidade com …
 
A cura que Jesus realiza hoje no paralítico da piscina de Betesda é para nós um sinal da paralisia de nossos corações. O Senhor mesmo revela, nos trechos finais do Evangelho, que aquela doença física tinha origem não tanto numa condição física quanto num estado espiritual: “Vê, ficaste curado. Não peques mais, para que te não aconteça coisa pior”. …
 
No Evangelho de hoje, vemos Cristo curar o filho doente de um dos oficiais da corte de Herodes Antipas. Este belo episódio, semelhante ao do servo do centurião, nos mostra com riqueza de detalhes como se dá não apenas o nosso progresso na fé, mas como a fé, para ser profunda, e não simples crendice, supõe uma atitude de obediência à palavra de Deus…
 
No Evangelho deste domingo, Nosso Senhor compara sua elevação na Cruz à serpente de bronze que Moisés levantou no deserto, a fim de curar o povo de Israel das mordidas das serpentes. Se examinarmos o Antigo Testamento, porém, veremos que as víboras foram enviadas ao povo de Israel como castigo, porque eles não paravam de murmurar contra Deus, alime…
 
No Evangelho de hoje, o Senhor nos conta a parábola do fariseu e do publicano. O primeiro, ciente de sua estrita fidelidade à Lei, apresenta-se diante de Deus com uma postura soberba e satisfeita de si mesma; o segundo, cabisbaixo e humilde, sabe não ser digno sequer de levantar os olhos para o céu. Foi este último, diz Jesus, quem “voltou para cas…
 
Sim, amamos a Deus, mas temos um coração dividido! Amamos o Senhor, mas amamos também muitas outras coisas, de tal modo que se torna um verdadeiro trabalho, um árduo processo conseguirmos referir tudo a Deus e não amarmos nada fora dele. Como, na prática, podemos chegar a amá-lo de todo o coração, com todo o nosso entendimento, com todas as nossas …
 
Quando o assunto é fé, há luzes suficientes para crer e trevas o bastante para não crer. Porque se há motivos fortes e razoáveis para acreditar — os milagres, a sublimidade da doutrina, o exemplo dos santos e mártires… —, ainda assim o homem pode achar em seu coração alguma sombra em que se “proteger” do sol da verdade. Afinal, é tal a força das pa…
 
O modernismo não é heresia de invenção recente, surgida da cabeça de uns quantos teólogos europeus. Ele mostrou suas garras já no paraíso terrestre, quando a serpente infernal, trajada de “exegeta bíblico”, adiantou-se ao que cremos ser novidade dos intelectuais da moda e convenceu os primeiros pais a pensar que era bom o que, no fundo, sabiam ser …
 
SANTA FRANCISCA ROMANA 2ª leitura - Da Vida de Santa Francisca Romana (Séc. XV)A paciência de Santa Francisca. Deus pôs à prova a paciência de Francisca não apenas nos bens exteriores de sua fortuna, mas quis experimentá-la em seu próprio corpo, por meio de graves e freqüentes doenças, com que foi atingida, como já se disse e se dirá em seguida. Me…
 
A dificuldade de perdoar se deve, antes de tudo, a um problema de memória: lembramos sem dificuldade todas as vezes que nos ofenderam, mas esquecemos com maior facilidade o perdão que tantas vezes recebemos. Deus nos perdoa sempre, e nós não queremos perdoar! Dói-nos o menor pisão no dedo, e já nem recordamos as cusparadas que demos no rosto de Cri…
 
SÃO JOÃO DE DEUS, RELIGIOSO Nasceu em Portugal no ano de 1495. Depois de uma vida cheia de perigos na carreira militar, o seu desejo de perfeição levou-o a entregar-se inteiramente ao serviço dos doentes. Fundou em Granada (Espanha) um hospital e associou à sua obra um grupo de companheiros que mais tarde constituíram a Ordem Hospitalar de São João…
 
A incredulidade dos habitantes de Nazaré diante da pregação de Cristo é mais uma prova de que Deus, ainda que prodigalize milagres e sinais, não pode vencer a dureza de um coração soberbo, não por falta de poder, mas porque a graça, que é um dom para criaturas livres, não penetra em quem livremente se fechou a ela. Não há convertidos que antes não …
 
Loading …

Guia rápido de referências

Google login Twitter login Classic login