#2 Entre imagens e palavras: uma conversa com Claudia Turra Magni

1:33:24
 
Compartilhar
 

Manage episode 293537658 series 2931975
Por Antropólis Podcast descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

Que implicações políticas, epistêmicas e éticas, envolve a utilização das linguagens visuais e, mais especificamente, audiovisuais na pesquisa antropológica? Que marcas emocionais o envolvimento intelectual e afetivo junto a populações vulnerabilizadas, em campo, produz na trajetória de uma pesquisadora engajada? A que tipo de saber essas marcas conduzem? Afinal, como elaborar intelectualmente o impacto dessas dores, sem romantiza-las e/ou despolitiza-las? É possível construir o conhecimento acadêmico de modo colaborativo/compartilhado, amenizando os riscos da autoridade etnográfica? E é possível que as imagens também atrapalhem uma boa condução da pesquisa e das relações estabelecidas em campo, em certos casos? Estas e outras perguntas de extrema complexidade mobilizam a instigante conversa que tivemos com a professora Drª Claudia Turra Magni, que atualmente realiza um estágio de Pós-doutorado na Aix-Marseille Université, em Marseille/França. Conversamos sobre sua longa trajetória de pesquisas, as dificuldades, frustrações e conquistas produzidas ao longo deste percurso e também sobre o artigo intitulado: “Lembrar, sentir e pensar: realização e circulação do filme etnobiográfico”, escrito em parceria com o também antropólogo Alexandre Fleming Câmara Vale, que se debruça, entre outras questões, na análise do vídeo: “A oferenda de Sabiá”, realizado dois anos após a conclusão do doutorado da professora Claudia, na École Des Hautes Études En Sciences Sociales (EHESS) de Paris, sob orientação do célebre antropólogo Marc Henri Piault, em 2002. Por ultimo, abordamos a história do Laboratório de Ensino, Pesquisa e Produção em Antropologia da Imagem e do Som (Leppais), fundado em 2008, assim como o processo de elaboração do dossiê: “Antropoéticas: outras (etno)grafias”, na Tessituras: revista de antropologia e arqueologia, da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel). Quer ter acesso aos artigos e vídeos citados no decorrer de nossa conversa? Então, siga nossas páginas no Facebook e Instagram. Postaremos essas e outras informações, dicas e notícias por lá!

17 episódios