Episódio 15 - Em nome de Jesus, um vale-tudo das igrejas em busca de poder

1:01:04
 
Compartilhar
 

Manage episode 273774594 series 2801174
Por As Cunhãs Podcast descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

A lei brasileira diz que o estado é laico, ou seja, que deve haver uma separação entre assuntos religiosos e assuntos estatais. E isso não é de hoje, não. Desde a primeira constituição republicana, de 1890. A constituição de 1988, inclusive, diz claramente, no seu artigo 19: “é vedado à união, aos estados, ao distrito federal e aos municípios estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança”. Ou seja, o estado, ou melhor, as pessoas que estão assumindo funções do estado, não podem nem favorecer, nem prejudicar qualquer prática religiosa no país.

Porém, para onde quer que você olhe na política, seja pras câmaras municipais, para as assembleias legislativas, pros espaços de poder em brasília, tem aumentado o número de líderes religiosos, principalmente evangélicos, decidindo os assuntos que afetam a vida de todos nós. Até no judiciário, a influência religiosa tem aumentado: no ano passado, o presidente jair bolsonaro disse que indicaria para uma vaga no supremo tribunal federal um ministro “terrivelmente evangélico”.

Com a aproximação das eleições municipais deste ano, começou a circular uma enxurrada de vídeos e áudios de políticos ligados a igrejas prometendo não necessariamente melhorar as condições de saúde e educação, mas garantindo que irão defender a fé cristã se for eleito.

Neste novo episódio de As Cunhãs, vamos falar justamente sobre a influência da religiosidade na política e vice-versa.

31 episódios