Morning Gallo #0138: Ações asiáticas e futuros em Wall Street apontam para o negativo após ata do FED

25:01
 
Compartilhar
 

Manage episode 338237849 series 2874304
Por Filipe Teixeira (Instagram: @filipe_st) descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

A quinta-feira foi de perdas para os mercados asiáticos, mesmo movimento observado até o momento nos futuros em Wall Street, depois que a ata da última reunião do Federal Reserve mostrou que as autoridades estão diante de um grande desafio para encontrar um equilíbrio capaz de conter a inflação enquanto evitam a recessão econômica.

As perdas no Japão, na China e em papéis ligados à alta tecnologia em Hong Kong, minaram o ambiente de negócios na sessão de hoje. Os contratos futuros em Nova York vão repercutindo a primeira queda em quatro dias para os principais índices americanos, incluindo uma queda de mais de 1% no índice Nasdaq.

Autoridades do Fed viram a necessidade de eventualmente diminuir o ritmo dos aumentos das taxas de juros e alertaram contra o aperto excessivo que poderia prejudicar a economia, mas também sinalizaram o risco de as pressões inflacionárias fugirem do controle da entidade.

O avanço nos Treasuries reduziu o rendimento de 10 anos para cerca de 2,87%. As apostas em relação à próxima reunião do Fed em setembro, indicam probabilidades mais baixas de um aumento de 75 pontos-base no próximo mês, em oposição a um movimento de meio ponto.
Estas expectativas de um aperto menos agressivo, aliado à previsão do fim dos cortes já em 2023, contribuíram para um salto de 12% nas ações globais em relação às mínimas de junho. Porém, um cenário mais “sombrio”, onde as pressões sobre os preços se mantenham, forçando taxas mais altas por um maior período de tempo, ainda não pode ser totalmente descartado.

Enquanto isso, os economistas do Goldman Sachs reduziram sua previsão para a expansão anual da China de 3,3% para 3%. O país está paralisado por uma crise imobiliária, restrições impostas pela Covid-19 e dificuldades no fornecimento de energia.

Por outro lado, EUA e Taiwan iniciaram negociações formais sobre uma iniciativa comercial bilateral, um passo que corre o risco de inflamar ainda mais as tensões com a China.

Por aqui, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que, se os estados tiverem prejuízo, o novo teto do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) poderá ser revisado.

O ministro defendeu que o país deve implementar uma reforma tributária, em vez de instituir impostos que “desindustrializam o Brasil”, segundo ele.

As declarações foram dadas durante reunião organizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, na terça-feira (16/8).

Já a diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu, de forma unânime, nesta quarta-feira, desobrigar o uso de máscaras de proteção facial em aeroportos e aviões, além de outras medidas sanitárias contra a Covid-19 nos estabelecimentos.

As regras para evitar a contaminação pelo coronavírus foram adotadas em dezembro de 2020, pela Resolução da Diretoria Colegiada nº 456.

A desobrigação das medidas foi definida na 15ª reunião da Diretoria Colegiada do órgão, na tarde desta quarta. O assunto foi pautado devido ao encerramento do estado de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin), em abril de 2022, decretado pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

--- Send in a voice message: https://anchor.fm/centralinvestidor/message

877 episódios