#23 Sobre o silêncio dos homens (com Ismael dos Anjos)

1:34:22
 
Compartilhar
 

Manage episode 243695883 series 2548577
Por Coemergência | Podcast descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.
Ser forte, corajoso, estar no controle, não demonstrar fragilidade, ser sexualmente experiente, ter fala firme, não chorar, ser bem-sucedido, não demonstrar erros... Essas são algumas (entre várias outras) das características do que a nossa cultura entende por ser homem. Tem tudo para dar certo, né? Parece que nem tanto: 6 em cada 10 homens admitem ter algum problema de saúde mental: 31% sofrem de transtorno de ansiedade, quase 1 a cada 4 sofre com depressão, quase 1 a cada 4 sofre com insônia; o suicídio é 4 vezes maior entre os homens do que entre as mulheres. Ao mesmo tempo, 7 em cada 10 concordam que foram ensinados, durante a infância e a adolescência, a não demonstrarem fragilidade e apenas 1 em cada 10 já procurou um psicólogo. Esses são apenas alguns dos vários dados bem marcantes que nosso convidado de hoje trouxe para a nossa lavanderia. Ismael dos Anjos, que é fotógrafo, jornalista e pai do Francisco (que tivemos o prazer de conhecer no dia da gravação), coordenou o projeto que deu origem ao documentário “O Silêncio dos Homens” e cujas pesquisas geraram dados como esses que citamos. O que é esse silêncio dos homens? De que homens estamos falando? Quais as diferenças entre as experiências de homens brancos, negros, gays, trans? O que está por trás do que entendemos como masculinidade? Como isso está relacionado com as dores e obstáculos que os homens enfrentam? E com os sofrimentos que causam (especialmente nas mulheres)? O que é, afinal, ser homem? Partimos de perguntas como essas e o papo que se abriu foi completamente pé no chão, sem respostas prontas e fáceis. Ismael traz uma visão bonita sobre esse processo, em que não vamos mais tentar seguir uma única masculinidade (no singular) rígida, fechada e, muitas vezes, tóxica, mas sim dar espaço, com responsabilização, para diferentes formas de expressão das masculinidades (no plural). Dê o play e vamos juntos! Você pode seguir o Ismael no Instagram, assistir ao documentário no YouTube e ver a 1ª parte dos resultados da pesquisa neste link.

51 episódios