#41 Renda Básica: a economia a favor da vida (com Tatiana Roque)

39:21
 
Compartilhar
 

Manage episode 265379968 series 2548577
Por Coemergência | Podcast descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.
Seres de todos os reinos, seguimos tentando explorar as questões relevantes do nosso tempo à luz da relação entre consciência e o mundo social, aspectos que, como vocês talvez desconfiem, consideramos coemergentes. Uma questão particularmente relevante do nosso tempo é o crescimento inacreditável da desigualdade social nesta fase neoliberal do capitalismo, e o impacto dessa desigualdade sobre nossos corpos, nossas mentes, nossas relações. A convidada desse programa tem não apenas refletido sobre como o capitalismo incide sobre a nossa subjetividade, mas tem também se engajado na defesa de uma proposta capaz de transformar alguns dos problemas causados por ele, que é a proposta da renda básica. Estamos falando de Tatiana Roque, matemática, filósofa, professora da UFRJ, vice-presidente da Rede Brasileira de Renda Básica. A Tatiana falou com a gente não só sobre os aspectos práticos da proposta, mas também da visão subjacente, e de como ela ajudaria a resolver um problema, que é: hoje ainda pensamos todo tipo de proteção social atrelando-as ao emprego, sobretudo o formal, mas vivemos em um mundo em que a quantidade e a qualidade dos empregos está em declínio. Mais importante do que apoiar este medida em específico ou de se ver como alguém de esquerda, que é de onde a Tatiana fala, você certamente há de concordar que não adianta falarmos de coisas como a dignidade básica de todos os seres e não pensar nas condições materiais necessárias para que todos vivam dignamente, tenham elas ou não um emprego. Além disso, é uma visão muito estreita do potencial uns dos outros acharmos que só por meio de um emprego as pessoas se moveriam para desenvolver suas potencialidades e oferecê-las ao mundo - a gente tem bons motivos para crer que, da maneira como vivemos, as potencialidades e o movimento compassivo são muito mais bloqueados do que estimulados. Como a Tatiana diz no programa, é necessário fazer política, mesmo, em um sentido amplo do termo. ... Você gostaria de apoiar nosso trabalho? Estamos em www.apoia.se/coemergencia. Faz a maior diferença pra gente! ;)

52 episódios