Retrospectiva 2021: Brasil brilha em Tóquio e perde para a Argentina em casa

6:59
 
Compartilhar
 

Manage episode 315800105 series 1457909
Por France Médias Monde and RFI Brasil descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.
O ano de 2021 começou com muitas dúvidas sobre se os campeonatos e eventos esportivos adiados em 2020 por conta da pandemia de Covid-19 seriam mais uma vez cancelados ou realizados sem público. O maior exemplo foi a Olimpíada de Tóquio 2020, que, após muitos protestos e incertezas, foi realizada em agosto de 2021, sem plateia. Depois de um longo inverno pandêmico na Europa, em 29 de maio, tivemos a final da Liga dos Campeões 2020-2021. O evento colocou dois clubes ingleses, Manchester City e Chelsea, frente a frente, sendo a terceira final 100% britânica. A competição foi vencida pelo Chelsea. Também em maio, começou em Paris o tradicional torneio de tênis Roland Garros. Djokovic é o campeão de Roland Garros No ano em que se completaram 20 anos do tricampeonato de Gustavo Kuerten em Roland Garros, o cearense Thiago Monteiro foi o único brasileiro a disputar o Grand Slam francês. Em junho, a final ficou entre o veterano sérvio Novak Djokovic e o jovem talento grego Stefanos Tsitsipas, em sua primeira final neste torneio. Rafael Nadal ficou de fora desta vez, pois havia perdido a semifinal para Djokovic. Em 13 de junho, Djokovic conquistou, enfim, o seu segundo título de Roland Garros frente a Tsitsipas, numa emocionante final em cinco sets. Esta que foi a 28ª final de Grand Slam do sérvio. Ainda em junho tivemos a largada da 108ª edição da Volta da França, a mais famosa prova ciclística de rua do mundo. A saída este ano foi de Brest, na região da Bretanha. A competição terminou em Paris, em julho, e foi vencida pelo esloveno Tadej Pogačar. Itália conquista a Eurocopa contra os ingleses Finalmente, a Eurocopa 2020 se realizou de 11 de junho a 11 de julho de 2021, dando o campeonato para a Itália contra a Inglaterra. Esta edição celebrava os 60 anos da criação do evento, mas foi adiada por um ano por causa da pandemia. A competição marcou a reabertura dos estádios europeus para o público, com no mínimo 25% da capacidade, apesar de os números da vacinação e recuo da doença ainda não serem ideais na Europa. Brasil perde para a Argentina em pleno Maracanã Em julho, a realização da final da Copa América suscitou uma forte polêmica no Brasil, segundo país mais afetado pela pandemia no mundo, depois dos Estados Unidos. A Argentina destronou a seleção brasileira no Maracanã e se consagrou campeã da Copa América. O gol de Di Maria derrubou o jejum argentino de 28 anos sem títulos e impediu o bicampeonato do Brasil no torneio marcado pela Covid-19. Tóquio 2020 aconteceu, mas em 2021 Em agosto, finalmente tivemos a realização dos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio. O Brasil fez bonito no Japão. Logo no início do evento, a ginasta Rebeca Andrade se tornou a primeira atleta brasileira a conquistar duas medalhas em uma mesma Olimpíada. Um ouro, no salto, e uma prata na individual geral da ginástica artística, ao som do funk "Baile de Favela". Esse foi, aliás, foi o primeiro pódio olímpico do Brasil na ginástica artística feminina. Como Rebeca, os atletas brasileiros marcaram a história dos Jogos Olímpicos em Tóquio, como o primeiro ouro da história do surfe na competição, com Ítalo Ferreira. Também tivemos as pratas no skate de Kelvin Hoefler e Rayssa Leal, que, com 13 anos, é a brasileira mais jovem a conquistar a uma medalha olímpica. Luisa Stefani e Laura Pigossi trouxeram, pela primeira vez em uma Olimpíada, uma medalha para o tênis brasileiro. Tivemos também os bronzes de Mayra Aguiar e Daniel Cargnin, no judô, e de Fernando Scheffer e Bruno Fratus na natação. Outras medalhas vieram depois na principal competição esportiva do ano, que incluiu novas modalidades como o skate e o surf, que permitiram que o Brasil brilhasse. No total, o Brasil ficou com sete ouros, seis pratas e oito bronzes, que deixaram o país no 12º lugar no quadro geral de medalhas. Foram os Jogos Olímpicos nos quais o Brasil levou mais medalhas. Messi encanta Paris e ganha sétima Bola de Ouro Ainda em agosto, tivemos a supresa de que o craque argentino Lionel Messi deixaria o Barça e viria jogar no Paris Saint-Germain, levando os parisienses à loucura. Foram pelo menos três dias de aglomeração em frente à sede do clube e também do hotel onde a família Messi ficou hospedada. A RFI acompanhou de perto. “Tenho a mesma alegria e a mesma vontade de ganhar de quando eu era criança”, disse Messi na coletiva de imprensa na sede do PSG, depois de ter jogado durante 21 anos no Barcelona. A vinda do craque para Paris gerou uma expectativa enorme nos seus fãs e nos torcedores do clube, e a imprensa francesa apelidou a 'febre' de "Messimania". Entrevistados pela RFI à época, os amigos Martin, de 16 anos, Tawab, de 15 anos, e Romain, de 16 anos, acreditavam que o fato de Messi ter assinado com o PSG "eleva o clube a uma outra dimensão". "Ele é o melhor, superior a Cristiano Ronaldo, para mim é o melhor do mundo sem dúvida", disse Tawab. Despedida de um recordista nos Paralímpicos Em setembro, tivemos uma belíssima participação do Brasil nos jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, com destaque para o multimedalhista paralímpico Daniel Dias que se despediu do esporte no Japão. Na capital japonesa, o nadador conquistou três medalhas de bronze e somou em sua carreira 28 medalhas paralímpicas, sendo 14 de ouro, um recorde. Ele nadou a última prova de sua carreira nesta competição. Um momento de muitas emoções, disse em entrevista à RFI. Em novembro, o Palmeiras foi o campeão da Copa Libertadores. Em jogo realizado no Uruguai contra o Flamengo, o alviverde levou o troféu pela terceira vez na história. Em Paris, Messi acumulou mais um título. Ao conquistar sua sétima Bola de Ouro, Lionel Messi estabeleceu um novo recorde e entrou na história como o primeiro jogador do Paris Saint-Germain a erguer o prestigioso troféu. Messi foi eleito o melhor da temporada principalmente pelo título da Copa América com a Argentina, após vitória de 1 a 0 contra o Brasil. A primeira muher a dirigir Roland Garros Em dezembro, também em Paris, a ex-tenista francesa Amélie Mauresmo foi nomeada à direção do torneio de Roland Garros. A ex-campeã se tornará, assim, a primeira mulher a ocupar o cargo, após a assinatura de um contrato de três anos. “Eu me sinto orgulhosa. Esse torneio me faz sonhar desde pequena e despertou em mim uma vocação. Tive as melhores e as piores histórias que aconteceram durante esse torneio. Então, só posso agradecer a confiança”, disse Mauresmo ao ser nomeada.

234 episódios