Experiências escolares de alunos cotistas da USP são analisadas em pesquisa

10:48
 
Compartilhar
 

Fetch error

Hmmm there seems to be a problem fetching this series right now. Last successful fetch was on November 30, 2020 11:55 (3h ago)

What now? This series will be checked again in the next day. If you believe it should be working, please verify the publisher's feed link below is valid and includes actual episode links. You can contact support to request the feed be immediately fetched.

Manage episode 274518698 series 2470282
Por Jornal da USP descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

A educadora Suellen Francine da Silva e Silva teve como principal foco em seu estudo uma compreensão das vivências escolares de estudantes negros que ingressaram na USP por meio de cotas raciais. A pesquisadora foi a entrevistada desta quinta-feira (15) no podcast Os Novos Cientistas. “Entre 2015 e 2019, investiguei aspectos de suas trajetórias que contribuíram para o acesso à Universidade”, contou a educadora. “Nesse período, estudantes pretos e pardos representavam, respectivamente, 3,4% e 14,5% do total de ingressantes. É uma tendência positiva se compararmos a estudos anteriores”, avaliou. A pesquisa foi realizada em um dos campi da USP e não compreende toda a USP.

O estudo de mestrado intitulado Vivências escolares de estudantes negros: o acesso à Universidade de São Paulo após a adoção das cotas raciais teve a orientação da professora Débora Cristina Piotto e foi apresentado na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP.

Um levantamento realizado no sítio da Fuvest permitiu a Suellen localizar os cursos mais seletivos (medicina, ciências biomédicas, psicologia e direito) e do perfil racial dos estudantes. “Nesses cursos, a maioria de estudantes são brancos sendo os negros a minoria”, disse. A análise das vivências escolares dos estudantes também indica que um conjunto de fatores, como o fato de serem bons alunos, o incentivo de professores e a mobilização das famílias na vida escolar dos filhos, atuou nas trajetórias dos estudantes, contribuindo para que eles pudessem chegar à Universidade. O acesso a outras vivências fora do ambiente escolar, como a participação no coletivo negro da Universidade permitiram aos estudantes apropriarem-se de uma consciência racial, ressignificando suas identidades.

715 episódios