Momento Odontologia # 74: Pacientes oncológicos precisam de tratamento bucal diferenciado  

8:52
 
Compartilhar
 

Manage episode 274782544 series 2470282
Por Jornal da USP descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

O tratamento do câncer é sempre um momento delicado na vida do paciente. Mas, nesse período, é importantíssimo manter a higiene em dia, com cuidados ainda mais especiais com a saúde bucal, que pode ter graves prejuízos por conta dos procedimentos feitos contra a doença. Sobre esses cuidados, o Momento Odontologia ouviu o professor Paulo Sérgio da Silva Santos, da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP. O especialista explicou que, se necessário tratamento bucal, este deve ser feito antes da quimioterapia ou radioterapia, especialmente quando o câncer é na região da cabeça e do pescoço, pois “as infecções presentes na boca podem se agravar e causar complicações ainda mais graves”.

Além disso, diz o professor, é preciso manter os cuidados durante o tratamento, pois há possibilidade de surgirem outros problemas. Um deles é a mucosite oral, que são úlceras na boca, decorrentes da quimioterapia ou radioterapia, “que comprometem a saúde bucal do paciente e atrapalham, inclusive, a alimentação e a fala dele”. Existem, também, as chamadas infecções oportunistas, que são provocadas por bactérias, vírus ou fungos, e que podem aparecer durante esse período do tratamento do câncer. “Essas infecções são graves e podem começar na boca e se disseminar pelo corpo”, alerta.

Para o professor, a mucosite oral exige prevenção, que não evita o aparecimento do problema, mas ajuda a diminuir a gravidade das manifestações bucais. Nesses casos, os cuidados devem permanecer durante todo o período do tratamento. Mas o professor ressalta que, durante a quimioterapia ou a radioterapia, os pacientes não podem realizar qualquer tratamento odontológico. O ideal é que sejam feitos apenas procedimentos de urgência. “Como o tratamento contra o câncer causa uma queda na imunidade do paciente, qualquer intervenção mais extensa ou invasiva pode provocar um problema grave na boca e abrir uma porta para infecções.”

O professor ressalta, ainda, que “quanto menos bactéria na boca, menos complicações os pacientes terão durante o tratamento do câncer”. É importante prevenir problemas bucais antes do tratamento, porque quando eles aparecem durante esse período, “é muito complicado continuar cuidando da higiene oral da forma correta”. Santos destaca que existem escovas e cremes dentais específicos para pacientes oncológicos, porque, “durante a quimioterapia, muitos pacientes têm náuseas ou vômitos e o creme dental pode acentuar esses problemas”.

Além de uma boa avaliação, existem procedimentos preventivos que precisam ser realizados na boca antes do início do tratamento, como, por exemplo, remoção de cáries, tratamentos de doenças nas gengivas, onde há bactérias graves que podem se alastrar e provocar infecções, e até extrações dentárias, se for necessário. “É muito importante observar se há outras doenças, outras infecções na boca, que podem se agravar durante o tratamento contra o câncer.”

Os cuidados não podem parar após o tratamento, alerta o professor. Isso porque existem complicações tardias da quimioterapia e da radioterapia, como a redução da saliva e até mesmo cáries que aparecem em razão da quimioterapia, por exemplo. O acompanhamento do cirurgião-dentista é ainda mais importante, pois deve diagnosticar, fazer o tratamento e prevenir complicações. Esse profissional pode avaliar possíveis sinais de recidiva do câncer ou de metástase, células provenientes de outras partes do corpo que podem se manifestar na boca.

Ouça este episódio do Momento Odontologia na íntegra no player acima.


710 episódios