Pílula Farmacêutica #48: Acne pode causar problemas de autoestima e distúrbios como ansiedade e depressão 

5:30
 
Compartilhar
 

Fetch error

Hmmm there seems to be a problem fetching this series right now. Last successful fetch was on November 30, 2020 11:55 (4d ago)

What now? This series will be checked again in the next day. If you believe it should be working, please verify the publisher's feed link below is valid and includes actual episode links. You can contact support to request the feed be immediately fetched.

Manage episode 275354274 series 2470282
Por Jornal da USP descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

A pele oleosa, além de possibilitar o surgimento de doenças como a acne, também provoca desconforto, como a sensação do rosto estar sujo, maquiagens como bases e corretivos não durarem o dia todo, incompatibilidade com produtos como protetores solares e hidratantes. Nesta edição do Pílula Farmacêutica, a acadêmica Giovanna Bingre, orientanda da professora Regina Andrade, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, fala sobre os problemas causados pela pele oleosa e como mantê-la sob controle.

Primeiro é preciso conhecer um pouco sobre a pele, que possui diversas partes diferentes, cada uma com suas peculiaridades. Para perceber isso, é só comparar a textura e composição da pele das palmas das mãos com a pele ao redor dos seus olhos, por exemplo, que refletem as funções de determinada parte da pele, podendo variar a espessura, a enervação e também a quantidade de glândulas, como a sebácea.

Giovanna explica que glândulas sebáceas secretam sebo, que é uma espécie de óleo, que possui muitas funções, como proteger fisicamente a pele, emulsificar substâncias, proteger contra radiação solar, bactérias e fungos. “Porém, o excesso desse sebo confere uma característica muito comum entre a população brasileira: a pele oleosa, um grande problema para todos que sofrem com ela.”

Uma pele oleosa pode levar à acne, doença cutânea caracterizada pela hiperplasia das glândulas sebáceas, hiperqueratinização do folículo da pele, inflamação e infecção do folículo pela bactéria Propionibacterium acnes. “Essa doença, apesar de não deixar o indivíduo debilitado, tem grandes impactos na vida de quem sofre com ela, deixando cicatrizes, problemas de autoestima, que refletem em distúrbios psiquiátricos como ansiedade e depressão, e questões sociais, como dificuldades em interagir com outras pessoas, que podem contribuir com o desemprego.”

Lavar o rosto excessivamente, na tentativa de manter o rosto seco, pode levar a uma situação chamada rebote, quando se retira demais o sebo da pele do rosto e o corpo entende que está desprotegido, produzindo ainda mais óleo. “Uma pessoa que não tem a pele oleosa pode acabar tendo problemas com a produção de sebo por causa da limpeza excessiva ou pelo uso de produtos muito fortes para o seu tipo de pele. Logo, uma pessoa que tenha a pele normal, mista e até mesmo seca pode vir a ter pele oleosa por causa disso.”

Para manter a pele sob controle, o mais indicado é procurar um dermatologista, que vai identificar o tipo de pele do paciente e indicar produtos de limpeza e hidratação adequados ou prescrever outros tratamentos e, em último caso, remédios para o controle da acne. “Os medicamentos para o tratamento de acne possuem efeitos adversos sérios, só devendo ser usados como última opção.”

Ouça este episódio do Pílula Farmacêutica na íntegra no player acima.


Pílula Farmacêutica
Apresentação: Kimberly Fuzel e Giovanna Bingre

715 episódios