USP Analisa #29: Especialista destaca importância da higiene bucal na prevenção de doenças

27:07
 
Compartilhar
 

Manage episode 274063636 series 2470282
Por Jornal da USP descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

Com a pandemia de covid-19, a higiene das mãos passou a ser uma das principais preocupações. Mas será que a higiene bucal também pode ser uma grande aliada na prevenção tanto do contágio pelo sars-cov-2 quanto por outros micro-organismos? O USP Analisa vai discutir essa questão em um especial em dois programas com o professor da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto, Vinícius Pedrazzi.

Ele explica que a boca é a principal porta de entrada para a maioria das doenças. Por isso, lavar as mãos é fundamental também antes da higiene bucal. “É uma coisa que pouca gente faz e acho que, no Brasil, quase ninguém, lavar bem as mãos antes de proceder à higiene bucal. Porque você vai tocar uma parte muito íntima do seu organismo com as mãos. Se elas estiverem sujas, unhas compridas, malcuidadas, ao invés de nós levarmos saúde, vamos levar doenças também.”

Pedrazzi explica ainda que micro-organismos responsáveis por infecções na boca, como os presentes na saburra lingual (“sujeira” no dorso da língua) podem causar problemas nos pulmões, no coração e até ter efeitos na gravidez. Por isso, a importância de higienizar apropriadamente tanto os dentes quanto a própria língua.

“É claro que se a pessoa tiver um infarto, vai chamar o Samu e não o dentista. Mas, para cirurgias programadas, no processo de intubação, muito comum também em épocas de covid-19, tem que colocar uma guia para poder passar a sonda. E, se tiver biofilme no dorso da língua, essa guia pode empurrá-lo para vias aéreas, para traqueias, pulmões e pode provocar uma pneumonia. E esse agravo vai diminuir o sucesso da cirurgia”, diz ele.

O professor critica ainda o alto preço dos materiais para higiene bucal, especialmente em virtude dos impostos que incidem sobre ele, o que dificulta a aquisição pelas camadas menos favorecidas economicamente. “Escova dental é muito cara para o brasileiro de baixa renda, principalmente. Fio dental é caro. Claro, em termos de saúde são baratos, mas poderiam custar um quarto do preço se os impostos fossem retirados. No caso da escova com higienizador de língua no dorso, o que era para se tornar um conjunto mais barato, ficou mais caro. Então, enquanto uma escova comum custa uma faixa de R$ 9, essa com higienizador do dorso vai para R$ 15”, conta ele.

Para saber mais novidades sobre o programa e outras atividades do IEA-RP, inscreva-se em nosso canal no Telegram.

710 episódios