Artwork

Conteúdo fornecido por B9. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por B9 ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.
Player FM - Aplicativo de podcast
Fique off-line com o app Player FM !

Trabalho digno no capitalismo: meta ou utopia?

1:10:27
 
Compartilhar
 

Manage episode 356942933 series 57283
Conteúdo fornecido por B9. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por B9 ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.
No dia 22 de fevereiro, a Polícia Rodoviária Federal desarticulou um cativeiro e resgatou mais de 200 trabalhadores em situação análoga à escravidão em Bento Gonçalves (RS). A maioria tinha sido recrutado na Bahia com promessa de emprego temporário, salário de R$ 4 mil, alojamento e refeições pagas. Na prática, a rotina de trabalho, que começou no início de fevereiro, era de domingo a sexta, das 5h às 20h. No alojamento onde viviam, as vítimas apresentavam situações precárias de saúde, algumas com quadro de desnutrição. Além disso, relataram enfrentar atrasos nos pagamentos dos salários, violência física, longas jornadas de trabalho e oferta de alimentos estragados. Também afirmaram serem coagidos a permanecer no local sob a pena de pagamento de uma multa por quebra do contrato de trabalho. A polícia apurou no local que esses homens, a maioria da Bahia, eram recrutados nos seus estados de origem para trabalhar no Rio Grande do Sul. Ao chegar no estado, encontravam uma situação diferente das prometidas pelos recrutadores. Enquanto as notícias desse caso nos revoltam, aproveitamos a oportunidade para refletir sobre a persistência desse desafio de Direitos Humanos. Tanto mudou no Brasil, mas por que ainda não conseguimos acabar com o trabalho análogo à escravidão? Nesse episódio, nosso objetivo é explorar em que medida enfrentamos apenas casos isolados, e em que medida esses casos são sintomas de problemas estruturais da forma como organizamos nossa produção, nossa economia e nossas vidas. Quais estratégias podem nos ajudar a avançar em direção à garantia de trabalho digno para todos? Para desinterditar esse debate, Cris Bartis e Ju Wallauer recebem Ian Prates, Coordenardor de Pesquisa e Projetos do Anker Research Institute, pesquisador do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP) e doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), e o jornalista Leonardo Sakamoto, diretor da ONG Repórter Brasil, doutor em Ciência Política e professor na PUC-SP. Vamos juntos! _____ FALE CONOSCO . Email: mamilos@b9.com.br ______ CONTRIBUA COM O MAMILOS Quem apoia o Mamilos ajuda a manter o podcast no ar e ainda participa do nosso grupo especial no Telegram. É só R$9,90 por mês! Quem assina não abre mão. https://www.catarse.me/mamilos _____ Equipe Mamilos Mamilos é uma produção do B9 A apresentação é de Cris Bartis e Ju Wallauer. Pra ouvir todos episódios, assine nosso feed ou acesse mamilos.b9.com.br Quem coordenou essa produção foi Beatriz Souza e Eduarda Esteves. Com a estrutura de pauta e roteiro escrito por Cris Bartis e Ju Wallauer. A edição foi de Mariana Leão e as trilhas sonoras, de Angie Lopez. A coordenação digital é feita por Agê Barros. O B9 tem direção executiva de Cris Bartis, Ju Wallauer e Carlos Merigo. O atendimento e negócios é feito por Thuany Rodrigues e Telma Zenaro.
  continue reading

676 episódios

Artwork

Trabalho digno no capitalismo: meta ou utopia?

Mamilos

49,214 subscribers

published

iconCompartilhar
 
Manage episode 356942933 series 57283
Conteúdo fornecido por B9. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por B9 ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.
No dia 22 de fevereiro, a Polícia Rodoviária Federal desarticulou um cativeiro e resgatou mais de 200 trabalhadores em situação análoga à escravidão em Bento Gonçalves (RS). A maioria tinha sido recrutado na Bahia com promessa de emprego temporário, salário de R$ 4 mil, alojamento e refeições pagas. Na prática, a rotina de trabalho, que começou no início de fevereiro, era de domingo a sexta, das 5h às 20h. No alojamento onde viviam, as vítimas apresentavam situações precárias de saúde, algumas com quadro de desnutrição. Além disso, relataram enfrentar atrasos nos pagamentos dos salários, violência física, longas jornadas de trabalho e oferta de alimentos estragados. Também afirmaram serem coagidos a permanecer no local sob a pena de pagamento de uma multa por quebra do contrato de trabalho. A polícia apurou no local que esses homens, a maioria da Bahia, eram recrutados nos seus estados de origem para trabalhar no Rio Grande do Sul. Ao chegar no estado, encontravam uma situação diferente das prometidas pelos recrutadores. Enquanto as notícias desse caso nos revoltam, aproveitamos a oportunidade para refletir sobre a persistência desse desafio de Direitos Humanos. Tanto mudou no Brasil, mas por que ainda não conseguimos acabar com o trabalho análogo à escravidão? Nesse episódio, nosso objetivo é explorar em que medida enfrentamos apenas casos isolados, e em que medida esses casos são sintomas de problemas estruturais da forma como organizamos nossa produção, nossa economia e nossas vidas. Quais estratégias podem nos ajudar a avançar em direção à garantia de trabalho digno para todos? Para desinterditar esse debate, Cris Bartis e Ju Wallauer recebem Ian Prates, Coordenardor de Pesquisa e Projetos do Anker Research Institute, pesquisador do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP) e doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), e o jornalista Leonardo Sakamoto, diretor da ONG Repórter Brasil, doutor em Ciência Política e professor na PUC-SP. Vamos juntos! _____ FALE CONOSCO . Email: mamilos@b9.com.br ______ CONTRIBUA COM O MAMILOS Quem apoia o Mamilos ajuda a manter o podcast no ar e ainda participa do nosso grupo especial no Telegram. É só R$9,90 por mês! Quem assina não abre mão. https://www.catarse.me/mamilos _____ Equipe Mamilos Mamilos é uma produção do B9 A apresentação é de Cris Bartis e Ju Wallauer. Pra ouvir todos episódios, assine nosso feed ou acesse mamilos.b9.com.br Quem coordenou essa produção foi Beatriz Souza e Eduarda Esteves. Com a estrutura de pauta e roteiro escrito por Cris Bartis e Ju Wallauer. A edição foi de Mariana Leão e as trilhas sonoras, de Angie Lopez. A coordenação digital é feita por Agê Barros. O B9 tem direção executiva de Cris Bartis, Ju Wallauer e Carlos Merigo. O atendimento e negócios é feito por Thuany Rodrigues e Telma Zenaro.
  continue reading

676 episódios

Todos os episódios

×
 
Loading …

Bem vindo ao Player FM!

O Player FM procura na web por podcasts de alta qualidade para você curtir agora mesmo. É o melhor app de podcast e funciona no Android, iPhone e web. Inscreva-se para sincronizar as assinaturas entre os dispositivos.

 

Guia rápido de referências