Monitorização do despertar intraoperatório

6:25
 
Compartilhar
 

Manage episode 273357630 series 2486319
Por Medicina do Conhecimento descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.
Bom dia, boa tarde, boa noite! Essa é mais um pílula do Medicina do Conhecimento. Ciência e informação a qualquer momento, em todo lugar. Eu sou Pablo Gusman, o Anestesiador. E como compartilhar é multiplicar segue uma dica rápida sobre monitorização do despertar intraoperatório. Bem vindo ao nosso podcast 101! O despertar intraoperatório com memória , embora raro, é uma complicação angustiante da anestesia geral que está associada a graves sequelas psicológicas. Desde a introdução dos curares e outras drogas bloqueadoras neuromusculares, o despertar intraoperatório se tornou uma significativa preocupação anestésica. Como se tornou um importante desafio, várias metodologias e dispositivos têm sido implementados durante a anestesia geral, na esperança de prevenir o desenvolvimento desta preocupante complicação. Essas metodologias variam desde o monitoramento de sinais clínicos sugestivos de consciência (isto é, taquicardia, hipertensão, lacrimação e sudorese) que sabemos ter baixa sensibilidade até o uso de monitores de eletroencefalografia (EEG) para medir a atividade cerebral. O despertar intraoperatório com memória se refere à consciência intraoperatória, em casos onde se esperava inconsciência, e ocorreu memória explícita dos eventos cirúrgicos. Embora seja uma complicação rara, pode ser potencialmente devastadora. Isso deve ser diferenciado do despertar intraoperatório sem lembrança ou memória. Altas doses anestésicas são geralmente necessárias para induzir a inconsciência em comparação com a indução de amnésia. Estudos demonstraram que é possível que pacientes respondam a comandos intraoperatórios, mas não lembrem dessas experiências. Quando há uma preocupação com possível despertar intraoperatório, o questionário Brice modificado é uma ferramenta útil na caracterização do evento. Infelizmente há aproximadamente 1 a 2 casos de despertar intraoperatório a cada 1.000 anestesias gerais, e, entre aqueles com despertar intraoperatório com lembrança/memória, 43% desenvolvem transtorno de estresse pós-traumático. O principal fator contribuinte está relacionado a dosagens inadequadas de anestésico para determinado procedimento. Isso pode ocorrer quando: ● o sistema administrador de anestesia não fornece o anestésico em doses adequadas; ● o paciente que têm necessidades anestésicas elevadas, não são previamente conhecidas; ● o paciente se encontra em estado grave e não tolerar níveis adequados de anestesia; ou ● o sistema de administração de anestesia não funciona corretamente por algum vazamento ou desconexão de infusões venosas. Estudos sugerem que manter um valor dentro da faixa de anestesia para cada um dos equipamentos é mais efetivo na prevenção de despertar intraoperatório em comparação ao monitoramento de sinais clínicos, e pode ser particularmente eficaz em casos operados sob anestesia intravenosa total sem infusões alvo-controladas. Todavia, quando uma anestesia balanceada com base em anestésicos voláteis é usada, o BIS não mostrou ser mais efetivo do que um protocolo de monitoração dos gases anestésicos expirados na prevenção de despertar intraoperatório. Assim, o uso rotineiro do monitoramento de ondas eletroencefálicas com a única finalidade de prevenir o despertar intraoperatório continua controverso. A literatura atual sugere que o monitoramento da consciência pode ter outros benefícios potenciais, como promover uma recuperação anestésica mais rápida, diminuir o consumo de drogas anestésicas, reduzir a disfunção cognitiva pós-operatória e oferecer uma estratificação do risco perioperatório. Em última instância, seu uso mais frequente e estudos adicionais é que poderão confirmar o potencial completo de uso rotineiro da monitorização para prevenção do despertar na anestesia geral. Entre no nosso grupo de discussão no Telegram e acesse o tutorial 416 da World Federation of Societies of Anaesthesiologists que deu origem a esse podcast.

104 episódios