Agronegócio terá mais espaço na Bolsa, diz CEO da Boa Safra Sementes

53:01
 
Compartilhar
 

Manage episode 307073893 series 2953394
Por PoderCast descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

O agronegócio representa cerca de 26% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil, mas ocupa menos de 2% da B3 (Bolsa de Valores de São Paulo). Uma das poucas representantes do setor na Bolsa é a Boa Safra Sementes. A companhia é comandada por Marino Colpo, que prevê uma expansão do agro na B3 nos próximos anos.

Marino Colpo tem 37 anos de idade, é sócio e cofundador da Boa Safra Sementes, empresa goiana líder na produção de sementes de soja no Brasil. Ele comandou o IPO (oferta pública inicial, na sigla em inglês) da Boa Safra em abril deste ano e viu as ações da empresa valorizarem cerca de 40% desde então, diferente de outras companhias que estrearam na B3 em 2021 e estão caindo junto com o Ibovespa.

O empresário credita o bom resultado da Boa Safra ao interesse do mercado no agronegócio. Ele diz que o investidor quer participar do crescimento do setor, que tem tido bons resultados mesmo em momentos de crise. Por isso, incentiva outras empresas do campo a entrarem na Bolsa e prevê novos IPOs do agro nos próximos anos.

“Acredito que, nos próximos 10 anos, o caminho do agronegócio é para a Bolsa e que o gap de 26% do PIB para 2% da Bolsa vai ser corrigido. Acredito em muitos IPOs de empresas do agro na próxima década”, afirmou o CEO da Boa Safra Sementes.

Marino Colpo participou do Poder Entrevista.

224 episódios