Por Que Dói? #04 | Espondilite anquilosante

24:29
 
Compartilhar
 

Manage episode 217667032 series 2372146
Por Portal Drauzio Varella descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.
Doença articular tem como principal característica a dor nas costas. Saiba mais neste podcast sobre espondilite anquilosante.
A espondilite anquilosante é uma doença que, talvez, você nunca tenha ouvido falar. Ela atinge mais o público masculino, principalmente os mais jovens, na faixa dos 20 ou 30 anos, e causa uma dor muito forte na região lombar. De origem reumática, ela pode evoluir para outras articulações, como tornozelos, quadril e joelhos.
No quarto episódio de “Por Que Dói?”, temos a presença do Dr. Eduardo Meirelles, que esclarece as principais dúvidas sobre a doença.
Ouça também pelo YouTube:
Leia a seguir a entrevista na íntegra:
Olá, meu nome é Juliana Conte, sou repórter do Portal Drauzio Varella e está no ar mais um episódio do Podcast Por que Dói?. Hoje nós vamos falar de uma doença que tem um nome um pouco difícil [de pronunciar], que é a espondilite anquilosante. É uma doença reumática e que acomete principalmente as articulações, como joelhos, quadris [e] tornozelo. E os principais acometidos por ela são os homens, principalmente os mais jovens, na faixa dos 20, 30 anos.
A principal característica da espondilite é a dor nas costas, principalmente no período da manhã. [A sensação] é diferente de quando você tem algum mau jeito, porque nesse caso o repouso ajuda a aliviar a dor. Mas, na situação da espondilite, a dor só diminui quando a pessoa está em movimento. Por exemplo, quando faz uma atividade física, ela não sente dor.
O diagnóstico precoce, como a gente sabe, é fundamental, mas na prática não é o que acontece, porque como a dor da espondilite parece [ser] de causa ortopédica é bastante comum o paciente ficar perambulando de médico em médico, se enchendo de anti-inflamatório e demorar até ter um diagnóstico correto. Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), o paciente pode demorar até cinco anos para conseguir chegar a um reumatologista, devido a essa confusão de sintomas.
Para explicar melhor sobre esta doença, a gente convidou o Doutor Eduardo Meirelles, que é médico reumatologista e chefe do Grupo de Reumato do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP).
Juliana Conte – Boa tarde, doutor Eduardo, obrigado pela presença.
Dr. Eduardo Meirelles – Eu que agradeço, Juliana.
Doutor, bom, hoje a gente está falando sobre espondilite anquilosante. Eu queria primeiramente que o senhor explicasse o que é que significa essa palavra e essa doença, porque com certeza muitas pessoas nunca ouviram falar sobre esse assunto.
É, parece um palavrão, não é? Espondilite anquilosante nada mais é que um processo inflamatório, uma doença inflamatória do esqueleto central axial, ou seja, da coluna e da bacia, das articulações sacroilíacas da bacia em um caráter crônico, inflamatório e que pode — eventualmente — acometer articulações periféricas também; mais frequente (bem mais frequente) nos homens, do que nas mulheres; e que tem uma característica de autoimunidade de anticorpos contra alguns tecidos do próprio corpo.
Explica um pouco, doutor Eduardo, sobre essa dor nas costas, que é o principal sintoma da doença. Não é?
Sim, na verdade essa lombalgia é diferente da lombalgia mecânica — que é bem mais frequente. Só 5% das lombalgias têm como causa a espondilite, que é uma lombalgia inflamatória, um pouco diferente da mecânica, porque ela melhora com o movimento e piora com o repouso — ao contrário da lombalgia mecânica.
Na verdade, ela é acompanhada também de rigidez matinal, de um certo travamento pela manhã, [e] às vezes também de dor intensa noturna; às vezes, a pessoa acorda no meio da noite com dor nas costas.

28 episódios