João Saldanha | O técnico da seleção que a ditadura não gostava

45:05
 
Compartilhar
 

Manage episode 299579399 series 2662427
Por AGÊNCIA DE PODCAST descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

O gaúcho João Alves Jobim Saldanha nasceu em Alegrete em 1917. Na adolescência chegava ao Rio de Janeiro e desde sempre mostrava o quanto era apaixonado por futebol.
Jogou no Botafogo por um tempo, mas mostrou-se mais talentoso fora do campo,com suas análises excepcionais de partidas e times de futebol. Mas João Saldanha não era amante do futebol apenas: ele era amante das palavras e da política. Se tornou um jornalista esportivo e político, misturando as duas áreas tão bem que fazia parecer que eram uma só.
Aos 40 anos ele se tornou treinador do Botafogo e, mesmo inexperiente na função, conquistou o campeonato carioca. Dois anos depois ele deixa de ser o "professor" do Botafogo e volta a fazer comentários políticos e esportivos atuando como jornalista. Seus comentários faziam tanto sucesso que o Brasil inteiro pensava que ele era o homem mais inteligente no assunto futebol.
Por isso, em fevereiro de 1969, a Confederação Brasileira de Desportos (CBD), atual CBF, o convoca como treinador da Seleção Brasileira de Futebol. O que é importante entender é o período. Em 1969 o Brasil vivia uma Ditadura Militar. Mais especificamente o período de Médici no poder, conhecido como o presidente mais repressor que existiu nos 21 anos de Ditadura.
Mas o que se espera de Saldanha? Não ter medo. Ele que era comunista, continuava criticando o governo mesmo representando o Brasil. As coisas pioraram quando a polícia matou de Carlos Marighella, um amigo de longa data, isso despertou de vez a ira do treinador da seleção. Durante a sua passagem pelo México com a seleção, Saldanha distribuiu um dossiê com milhares de informações de perseguidos pela Ditadura, tentando conscientizar o mundo sobre o que acontecia no Brasil.
Não demorou muito pra que ele fosse demitido e substituído por Zagallo. O Brasil, no ano seguinte, conquistava a terceira vitória na Copa do Mundo. Mesmo sem Saldanha liderando, mas fazendo parte indiretamente pra conquista do título.
Em 1985 Saldanha disse no programa Roda Viva: “Considero Médici o maior assassino da história do Brasil. Ele nunca tinha visto o Dario jogar. Aquilo foi uma imposição só para forçar a barra. Recusei um convite para jantar com ele em Porto Alegre. Pô, o cara matou amigos meus. Tenho um nome a zelar. Não poderia compactuar com um ser desses”.

228 episódios