As redes propagadoras de desinformação sobre o novo coronavírus no YouTube

27:47
 
Compartilhar
 

Manage episode 262673883 series 2459829
Por Tempo Hábil | Jornal O TEMPO descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

Um estudo realizado por pesquisadores do Centro de Análise da Liberdade e do Autoritarismo (Laut), o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT.DD) e o Centro de Estudos e Pesquisas de Direito Sanitário (Cepedisa) constatou que canais que divulgam fake news sobre o novo coronavírus têm maior alcance no YouTube do que os trabalham com informações legítimas.

Enquanto os primeiros mobilizaram mais de 73 milhões de mobilizações no período de 1º de fevereiro a 17 de março, os últimos alcançaram um pouco menos de 28 milhões de visualizações. Redes com forte apelo de teorias da conspiração, associadas a discursos religiosos e que vendem supostas fórmulas médicas para a Covid-19 são as mais associadas à desinformação sobre a pandemia na plataforma de vídeos. Neste episódio do Tempo Hábil Entrevista, Caio Vieira Machado, advogado, cientista social especializado em tecnologia e pesquisador do LAUT, explica o estudo e suas principais implicações.

63 episódios