EQM – EXPERIÊNCIAS DE QUASE MORTE

1:40:37
 
Compartilhar
 

Manage episode 278249263 series 2580064
Por Thiago Trabuco Bassan descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

Participaram Do Programa:

Kah Borges
Lady Siph
Pensador Louco
Thiago Trabuco Bassan
Thiago Trabuco Bassan

Introdução Ao Tema

Todo mundo já viu algo relacionado a experiências de quase morte, desde episódios de Tom & Jerry, quando a alma de Tom sai do corpo e flutua pelo cenário e só volta depois de um colapso de remorso de Jerry que acaba ressuscitando o gato, ou até mesmo o popular, “se tiver algum acidente, não vai em direção a luz”.

Porém com a evolução da ciência médica, principalmente no controle sobre o corpo humano durante grandes procedimentos e principalmente a capacidade de ressuscitação do corpo após um colapso de qualquer ordem, seja através de uma simples massagem cardíaca, ou até mesmo um desfibrilador, cada vez mais estamos escutando histórias sobre visões de coisas pouco usuais.

Essas visões intrigam, cada vez mais a ciência que ao mesmo tempo nega a existência dela pois conflita e muito com a questão da espiritualidade, porém, ou talvez por isso, nos últimos anos, muitos estudos foram realizados sobre o tema, e hoje falaremos um pouco sobre estas experiências.

O que são as experiências quase morte (EQM)?

Como o próprio nome indica, as experiências quase morte, ou pela pela sigla, EQM, são aquelas em que um indivíduo retorna de um período onde passou por uma experiência onde seu corpo entrou em um processo que pode ser considerado morte por apenas alguns minutos.

Em geral, as EQM, são relacionadas a paradas cardíacas, ou falta de sinais de atividade cerebral.

O coração é o órgão responsável por emitir sangue para as nossas células, e caso ele pare de bombear, podemos permanecer vivos por um período de 4 a 6 minutos, com isso, nossas células cerebrais começam a morrer, e se o cérebro ficar 10 minutos sem receber sangue, as células param de funcionar e a pessoa é tida como morta.

Como é cientificamente inadmissível que mortos tenham qualquer experiência, as estranhas ocorrências foram batizadas de experiências de quase-morte (EQM) – tradução aproximada de near-death experiences, termo cunhado pelo médico americano Raymond Moody Jr., pioneiro no estudo do assunto.

Existem vários relatos, de pessoas que passaram por esta experiência, com histórias fantásticas e que desafiam qualquer lógica conhecida, principalmente porque muitas destas histórias possuem elementos em comum, e até hoje, apesar de muitos estudos terem sido realizados, a ciência nunca conseguiu encontrar uma explicação oficial para essas ocorrências.

O Dr. Bruce Greyson, psiquiatra da Universidade da Virgínia, EUA, elaborou uma escala em que 16 das ocorrências mais comuns de uma experiência de quase-morte ganham conceito 0, 1 ou 2. Assim, ele criou um dos critérios mais utilizados hoje para definir a veracidade de uma EQM, a Escala Greyson, onde a nota mínima de uma EQM legítima é 7 em 32, basicamente um teste da Contigo.

Uma a cada 10 pessoas já teve sensações associadas a experiências de quase-morte, esta informação, é de um estudo divulgado durante o 5º Congresso Europeu da Academia de Neurologia, ocorrido no fim de junho de 2019 em Oslo, Noruega, e que envolveu participantes de 35 países.

Para isso, foram recrutados mais de 1.034 voluntários através de uma plataforma online de crowdsourcing, onde os voluntários respondiam uma série de perguntas que atestam a veracidade de suas declarações como positivas ou negativas, e por fim, para escolha final dos participantes, foi aplicado o método da escala de Greyson.

Do total então de 1024 participantes, 289 pessoas se enquadram na escola Greyson, sendo que, 106 atingiram o valor de 7 na escala, indicando ser uma resposta positiva e coerente com as sensações de quase-morte. Ainda, 55% das pessoas entenderam essas sensações como algo que colocava a vida delas em risco, enquanto 45% não viram dessa forma.

A Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, realizou um estudo para desvendar o que de fato acontece com o cérebro humano, quando uma pessoa por algum momento morre e depois retorna devido aos procedimentos submetidos, este estudo, foi conduzido pela Dra Jimo Borjigin, especialista em neurociência. Ela chegou à conclusão que ao contrário do que muitas pessoas pensam, o cérebro não se torna inativo apos a morte clínica, muito pelo contrário, o cérebro se torna muito mais ativo no processo de óbito do que durante nossa vida rotineira.

Por motivos obvios, afinal, este não é o programa sobre experimentos cientificos nazistas, o estudo foi realizado em ratos moribundos e foi constatado altos níveis de ondas cerebrais presentes nos animais no momento da morte.

Os pesquisadores afirmam que nós seres humanos essas ondas podem levar a um estado elevado da consciência, com isso, a pessoa pode ter alucinações antes mesmo da morte ser confirmada.

Coincidências de Todos Os Relatos:

Uma das coisas mais intrigantes sobre os relatos de EQM, é que todos os relatos geram uma base de semelhanças absurdas, algumas mais próximas, outras nem tanto, mas sempre as histórias se cruzam, vou listar aqui algumas das EQMs mais comuns, e que basicamente consistem na pontuação de Greyson:

Sensação de paz:

E o completo desaparecimento da dor, com alteração das noções de tempo e espaço;

Desprendimento do corpo físico:

A capacidade de flutuar, ouvindo o que se passa no ambiente no qual o corpo se encontra ou viajando a locais distantes (até mesmo viagens para outros planetas e galáxias);

Túnel De Luz:

Também são muito comuns os relatos de uma viagem por um túnel que possui uma luz no final para a qual as pessoas são atraídas. Essa é uma luz muito intensa e brilhante, mas não é capaz de ofuscar a visão e é bastante chamativa;

Passagem pela luz:

Aproximadamente 10% dos casos de quase morte relatam que, após ultrapassar a luz, existe um ambiente paradisíaco com um limite o qual, se for ultrapassado, não será mais possível retornar à vida;

Arquivo Confidencial:

Muitos relatam que vivenciaram uma retrospectiva das suas vidas;

Ashtar Sharam Ou Algo Parecido:

Relatos possuem a companhia de figuras espirituais ou de entes queridos já falecidos, e independentemente da religião de quem sofre a EQM, é comum relatarem encontros com entidades superiores e de uma bondade assombrosa;

Guia Do Mochileiro Das Galáxias:

Muitos dos relatos afirmam terem recebido um conhecimento de todo o Universo, entendendo o porquê estamos aqui e que todos somos uma coisa só.

Explicações Científicas:

Visualizar o Túnel:

Visão de túnel é um resultado da falta de oxigenação no cérebro. As células responsáveis pela visão central são muito mais abundantes que as da visão periférica – por isso enxergamos mal o que só está ao alcance dos cantos dos olhos. Segundo psicóloga inglesa Susan Blackmore, a oxigenação débil pode deflagrar uma ativação anormal das células da visão. Mais numerosas na porção central, criaram a sensação de uma luminosidade intensa que desvanece à medida que as células diminuem: uma luz no fim do túnel. Essa teoria é baseada em incidentes envolvendo pilotos de Força Aérea dos EUA. A velocidade brutal dos caças reduz o fluxo sanguíneo para o cérebro dos aviadores, que “apagam” e relatam visões de túnel semelhantes às das EQMs.

Abandonar o Corpo:

A impressão de abandonar o próprio corpo – a chamada experiência extracorporal – é um dos componentes mais intrigantes da experiência de quase-morte. Mas ela também ocorre isoladamente em um série de situações: no uso de drogas, na meditação, durante o sono (ou após uma longa privação do sono), em momentos de estresse.

O neurologista suíço Olaf Blanke, do Hospital Universitário de Genebra, relacionou essa experiência a uma região do cérebro chamada giro angular. Ao examinar uma paciente epiléptica em 2002, a equipe de Olaf estimulou eletricamente o giro angular desta paciente, que relatou ter a impressão de estar fora do corpo.

O giro angular fica em uma extremidade do lobo parietal, setor cerebral responsável pela orientação espacial. É o lobo parietal que nos faz perceber onde termina o nosso corpo e o mundo começa. Pessoas com distúrbios nessa região têm uma dificuldade enorme para completar tarefas muito simples – coisas como atravessar uma porta aberta.

O neurocientista Andrew Newberg, da Universidade da Pensilvânia, EUA, colheu imagens tomográficas de budistas em meditação. Nelas, a atividade no lobo parietal era muito reduzida. “O cérebro fica sem escolha: ele sente que o ‘eu’ é infinito e intimamente entrelaçado a todos e a tudo”, diz Andrew no livro Why God Won’t Go Away (“Por Que Deus Não Vai Embora”, inédito no Brasil). Esse seria o gatilho cerebral para o sentimento de fazer parte de um corpo único que engloba todas as coisas e pensamentos – presente em visões místicas e nas experiências de quase-morte.

As tomografias mostraram que, enquanto o lobo parietal “dorme”, há uma atividade intensa no lobo temporal direito. Essa região do cérebro freqüenta há tempos os anais da neurologia: a epilepsia do lobo temporal direito é um distúrbio que provoca alucinações vívidas e induz à religiosidade intensa. Suspeita-se que o episódio bíblico em que São Paulo encontra Jesus e se converte ao cristianismo tenha ocorrido durante um ataque de epilepsia.

Relatos De Eqm:

Os dois relatos abaixo, são de situações diferentes, e ambos eu peguei de um site portugues, tentei modificar ao mínimo possível, principalmente pela colocação da língua de Portugal ter algumas nuances, não seria legal por exemplo aqui eu chamar uma enfermeira de rapariga, porém tem mais relatos no site, que esta no link do post, mas selecionei estes, pois são bem diferentes, e abordam basicamente tudo o que falamos até agora.

O Bolso da Dentadura:

Um dos pesquisadores mais conhecidos sobre EQM da atualidade, é o cardiologista holandês, Pim van Lommel, que se interessou pelo fenômeno após escutar vários de seus pacientes, descreveram várias situações após sobreviverem a paradas cardíacas.

Pim van Lommel, conduziu uma experiências com 300 de seus pacientes, essa pesquisa foi publicada na revista científica The Lancet, nesta publicação ele conta a históra de um homem de 44 anos, mas não revela sua identidade, para preservar o paciente.

Este homem, deu entrada no hospital, durante o plantão noturno, em estado cianótico, ou seja, cor roxa da pele e mucosas, provocada pela falta de oxigênio no sangue, e em estado de coma, Durante o procedimento para intubação, uma enfermeira notou que ele usava dentadura, e a retirou, guardando-a em um carrinho cirúrgico. Pouco tempo depois, o paciente recuperou a atividade cardíaca e pressão arterial, mas continuava respirando por aparelhos, pois ainda estava em coma, ele ficou neste estado por mais uma semana.

Quando recobrou a consciência, foi encaminhado para a enfermaria do setor de cardiologia, enquanto estava na enfermaria, ele se deu conta de que sua dentadura havia desaparecido, e ninguém ali do departamento sabia onde ela estava.

Enquanto uma enfermeira aplicava a medicação nele, o homem, já totalmente consciente, virou e apontou para outra enfermeira: “Ah, foi esta enfermeira sabe onde estão minhas dentaduras”, “Sim, você estava lá quando me trouxeram para o hospital e foi você quem tirou minha dentadura e colocou naquele carrinho com todos aqueles frascos e gavetas da parte de baixo”.

A enfermeira ficou chocada, pois realmente se lembrava dos acontecimentos, enquanto o paciente estava em coma profundo, recebendo ressuscitação cardiopulmonar.

O cético e o paraíso:

Um belo dia, o professor da Harvard neurocirurgião, Dr. Eben Alexander acordou com uma dor de cabeça fora do normal, não suportando a dor, foi levado ao hospital, onde foi diagnosticado com meningite bacteriana, a bactéria havia entrado em seu fluxo cérebro-espinhal e a dor sentida por ele, era da bactéria literalmente comendo seu cérebro e desligando seu córtex.

Dr. Eben ficou uma semana em coma e sem esperanças de vida segundo seus médicos, porém contrariando as estatísticas, ele voltou a consciência.

Segundo o neurocirurgião, na semana em que ficou em coma sua alma estava pairando acima de nuvens cor-de-rosa, de um céu azul escuro, acima dele, seres transparentes, que ele descreve sendo algo que como entidades superiores, cruzavam voando este céu, e a impressão que ele tinha, é de como já estivesse naquele lugar a muito tempo, e não tinha nenhuma memória de sua vida passada.

Navegando pela morte: Lars Grael

Um dois maiores nomes do esporte brasileiro, o velejador Lars Grael, foi campeão mundial na classe Snipe, em 1983. Na classe Tornado, participou de quatro Jogos Olímpicos: Los Angeles 1984, Seul 1988, Barcelona 1992 e Atlanta 1996. Subiu ao pódio duas vezes, sendo medalhista de bronze em 1988, ao lado de Clínio de Freitas, e em 1996, com Kiko Pelicano. Em 2015, conquistou o campeonato mundial de Star, ao lado de Samuel Gonçalves.

No ano de 1998, sofreu um grave acidente, enquanto ele participava de uma regata em Vitória, no Espírito Santo, uma lancha invadiu a área da competição e bateu no barco em que estava o iatista, que teve a sua perna direita decepada pela hélice da embarcação pilotada pelo empresário Carlos Guilherme de Abreu e Lima.

Na época, um laudo da polícia do Espírito Santo concluiu que Carlos Guilherme estava embriagado quando atropelou Lars, mas ele negou e disse que não conseguiu ver o barco onde estava o medalhista olímpico, o que realmente deveria ter sido muito dificil, pois o acidente ocorreu em um dia de sol, dentro de uma area marcada para competição e o barco de Lars era bem pequeno, um veleiro da classe Tornado, com mais de 6m de comprimento e quase 12 metros de altura, isso sem contar a vela que tem cerca de 20m2.

Durante o momento do acidente, até ter o seu quadro de saúde estabilizado no hospital, Lars teve uma série de experiências que ele alega terem até mudado algumas coisas de sua vida, pouco depois ele deu uma entrevista ao programa Fantástico onde ele conta um pouco sobre isso:

É uma coisa muito difícil de descrever. Nem imaginava que isso pudesse acontecer. Tive uma morte momentânea e me senti mais leve, com menos dor. Senti muita paz, e também me vi levantando do meu corpo. Voltei a vida, mas tive uma segunda parada e me senti saindo do meu corpo novamente, era uma sensação menos nítida, acho que estava partindo mesmo. Foi coisa de segundos. Mas parece que o tempo ficou parado. Hoje vejo a vida por uma outra ótica. Meus valores mudaram e aprecio as coisas mais simples, de um gole de água, a um beijo de cada um de minha família. Tudo, tudo mudou”.

Links Relevantes:

https://cemiteriosemmisterio.com.br/experiencias-quase-morte/

https://amarassist.com.br/artigos/experiencia-de-quase-morte-historias-reais

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/almanaque/espiritos-teletransporte-ou-luz-no-fim-do-tunel-que-acontece-em-experiencias-de-quase-morte.phtml

https://www.gazetadopovo.com.br/viver-bem/saude-e-bem-estar/alucinacoes-e-estar-fora-do-corpo-sensacoes-de-quem-quase-morreu/

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832007000700015

https://super.abril.com.br/ciencia/na-fronteira-da-morte/

http://revistagalileu.globo.com/Galileu/0,6993,ECT483439-1940,00.html

https://www.boavontade.com/pt/saude/o-que-e-uma-eqm-psiquiatra-explica-experiencias-de-quase-morte

https://www.revistaplaneta.com.br/cerca-de-10-das-pessoas-tem-experiencias-de-quase-morte-segundo-estudo/

https://pt.aleteia.org/2017/10/20/3-experiencias-de-quase-morte-para-voce-acreditar-ainda-mais-no-paraiso/

https://www.revistas.ufg.br/fcs/article/view/54620

https://www.ufjf.br/nupes/2020/04/07/pesquisa-perfil-das-experiencias-de-quase-morte-no-brasil/

http://cienciasecognicao.org/neuroemdebate/arquivos/1385

https://www.huffpostbrasil.com/2018/05/22/gabriella-vinhas-o-reencontro-com-a-vida-apos-uma-experiencia-de-quase-morte_a_23440215/

https://www.cnnbrasil.com.br/saude/2020/07/16/correspondente-medico-como-a-ciencia-explica-a-experiencia-de-quase-morte

https://www.ean.org/congress-2019

The post EQM – EXPERIÊNCIAS DE QUASE MORTE appeared first on Trabuco Show.

20 episódios