Um pulo em Paris - Covid-19: França começa a tornar uso de máscaras obrigatório também nas ruas

5:38
 
Compartilhar
 

Manage episode 268630213 series 1239944
Por France Médias Monde descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.
Como em boa parte da União Europeia, atualmente o uso de máscaras de proteção é obrigatório em todos os locais públicos fechados da França. Mas diante do aumento de contaminações pela Covid-19 registrado nos últimos dias, o governo vem estudando a possibilidade de impor o uso do acessório também nas ruas. A medida já é efetiva em algumas cidades do país. Desde quarta-feira (29), quando o ministro francês da Saúde, Olivier Véran, preconizou o uso de máscaras de proteção inclusive nas ruas, o assunto entrou no centro das discussões sobre o combate à pandemia de Covid-19. “Se vocês estão em uma rua cheia de gente e não sabem se vão conseguir manter o distanciamento físico necessário, recomento (o uso da máscara)”, disse o ministro durante uma entrevista. Nesta sexta-feira (31), Véran confirmou sua declaração e deu mais detalhes. Em mensagem nas redes sociais, ele disse que os secretários de segurança de cada região serão autorizados a impor o uso de máscaras nos locais públicos abertos. “Essa decisão poderá ser tomada localmente, em função da evolução da pandemia em cada região”. Imediatamente, autoridades do norte da França, que faz fronteira com a Bélgica, um dos países mais afetados da Europa, anunciaram que o uso das máscaras será obrigatório a partir de segunda-feira (3). Outros municípios, principalmente em zonas turísticas, como Biarritz, Bayonne, Saint-Malo ou Orléans, já haviam avisado, na quinta-feira (30), que a medida seria adotada nas feiras e no centros das cidades. Essa posição destoa da postura do governo no início da pandemia. Entre janeiro e abril, quando as contaminações explodiram em solo francês, o país não dispunha de máscaras suficientes para proteger a população. Na época, o acessório era disponível apenas para os médicos, enfermeiros, e doentes hospitalizados. E autoridades ligadas ao governo, como o diretor geral da Saúde, Jérôme Salomon, ou a então ministra da Saúde, Agnès Buzyn, chegaram a declarar que as máscaras eram “inúteis para pessoas nas ruas”. Agora, com a possível obrigatoriedade do uso de máscaras nas ruas, políticos da oposição voltam a pedir que o acessório seja distribuído gratuitamente ou reembolsado pelo sistema público de saúde. O preço das máscaras cirúrgicas descartáveis é tabelado na França (€ 0,95 a unidade). Mas o valor é um dos mais altos entre os vizinhos europeus. A mudança de postura do governo é quase sempre justificada pelo aumento de novos casos, pela descoberta de focos de contaminação, mas também pelo fato de que a comunidade científica se questiona cada vez mais sobre os formas de transmissão da Covid-19. Vários estudos apontam que o vírus não está presente apenas nas gotículas emitidas com tosse e espirro, mas também está em gotículas minúsculas, emitidas em forma de aerosol, e que ficam suspensas no ar. Por essa razão, o uso de máscaras seria indispensável. O governo insiste que a França não enfrenta uma segunda onda de contaminação. No entanto, os últimos dados deixam a população em estado de alerta. Pela primeira vez desde 9 de abril, o número de doentes de Covid-19 hospitalizados em serviços de reanimação aumentou. Além disso, o país passou, novamente, a registrar mais de mil novos casos de contaminação por dia.

213 episódios