Morning Call: mercados operam próximo à estabilidade em dia de definições de política monetária na Europa

15:42
 
Compartilhar
 

Manage episode 290612730 series 2874304
Por Filipe Teixeira descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

Rock n Vol, novo episódio: B3SA3: https://materiais.wisir.com.br/rock-n-vol-ep-05
As ações Asiáticas encerraram em sua maioria no terreno positivo, após a recuperação das ações em Wall Street na quarta-feira, cujos contratos futuros operam muito próximos da estabilidade nesta madrugada, com os investidores se concentrando nas perspectivas de lucros da temporada de balanços, em meio a continuidade da recuperação econômica.
Na Ásia, o Japão foi o destaque de alta, enquanto Hong Kong e Austrália encerraram com ganhos mais modestos. A Índia registrou o maior salto em um dia do mundo em casos de coronavírus, com o número ultrapassando 300.000, já que uma segunda onda mais mortal não mostrou sinais de diminuir no país.
O petróleo aumentou as perdas com um aumento nos estoques de petróleo dos EUA, agravando as preocupações em torno de uma lenta recuperação da demanda global.
Na sessão de ontem em Nova York, a maior parte dos setores que compõem o S&P 500 subiu, com matérias-primas, energia e o setor financeiro liderando as altas. Um indicador de small caps subiu mais de 2%, superando os principais benchmarks.
Enquanto isso, os Bancos Centrais Europeus se reúnem nesta quinta-feira e se espera que mantenham sua política inalterada, confirmando que as compras de ativos sob seu programa de pandemia ocorrerão em um ritmo mais rápido até junho. A reunião será de particular interesse depois que o Banco do Canadá se tornou o primeiro grande banco central a sinalizar que reduzirá as compras de ativos e aumentará o cronograma esperado para possíveis aumentos das taxas.
O presidente Jair Bolsonaro sancionou ontem (21) a lei que vai destravar o lançamento de programas emergenciais de combate à covid-19 e tirar os gastos nessas ações da contabilidade da meta fiscal de 2021, que permite rombo de até R$ 247,1 bilhões. O projeto fez parte das negociações para resolver o impasse do Orçamento deste ano.
O ato foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) nesta quarta-feira, 21, apenas dois dias após a aprovação do projeto pelo Congresso Nacional. A rapidez se deve à necessidade de dar respaldo legal ao lançamento dos programas, aguardados com ansiedade pelo setor empresarial, e também de dar à equipe econômica instrumentos para solucionar o problema das despesas subestimadas no Orçamento.
A lei publicada nesta quarta-feira, altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021 para descontar do cálculo da meta fiscal deste ano os gastos emergenciais com saúde, o programa de manutenção de empregos (que permite redução de jornada e salário ou suspensão de contratos) e o programa de crédito a micro e pequenas empresas, o Pronampe. Essas despesas serão bancadas com crédito extraordinário, modalidade que também fica fora do teto de gastos, outra regra fiscal que limita o avanço das despesas à inflação.
Support the show (http://wisir.com.br/planos)

426 episódios