Morning Call: retorno do feriado começa com dia positivo para os mercados globais

17:22
 
Compartilhar
 

Manage episode 289176523 series 2874304
Por Filipe Teixeira descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.

A semana começa em alta para os mercados asiáticos, assim como os futuros em Nova York e os recém abertos mercados europeus, enquanto os investidores avaliam o recente e inesperado relatório de emprego (payroll) dos EUA, divulgado na sexta-feira.
Na índia, as ações caíram para o nível mais baixo em cinco semanas, com mais de 100.000 novos casos de Covid-19 registrados em 24 horas. Muitos mercados estiveram fechados em virtude do feriado de Páscoa, incluindo China e Hong Kong, bem como grande parte da Europa.
Os futuros do S&P 500 ampliaram os ganhos da sexta-feira após um payroll forte, que mostrou a maior criação de postos de trabalho dos últimos sete meses. Os títulos do Tesouro se recuperaram de uma liquidação na semana passada, com o rendimento de referência de 10 anos se estabilizando em torno de 1,71%.
O petróleo caiu depois que os líderes da OPEP + decidiram aumentar a produção e o aumento das infecções na Índia enfatizou os riscos para a demanda de energia.
Os investidores estão acompanhando o debate sobre a proposta de infraestrutura de US $ 2,25 trilhões do presidente dos EUA, Joe Biden, enquanto os republicanos expressaram apoio a um plano mais limitado.
A resposta até agora nos mercados de títulos foi silenciada, com as preocupações com a inflação diminuindo em meio às dúvidas sobre a viabilidade de gastos mais amplos, mesmo com os bancos centrais continuando comprometidos em manter as taxas de juros mais baixas por mais tempo.
No front das vacinas, as notícias foram mais encorajadoras: a China está aumentando seu esforço de vacinação, com o objetivo de ser duas vezes mais rápido que os EUA, e um líder do programa da Organização Mundial de Saúde disse que a distribuição de vacinas será expandida para 100 países nas próximas semanas, dos 84 atuais.
Por aqui, o Brasil registrou 1.233 mortes e 30.939 pessoas infectadas pelo coronavírus nas últimas 24 horas, chegando ao total de 331.530 vidas perdidas e 12.983.560 testes positivos para a doença no País. Neste domingo, 4, a média móvel de mortes, feita com base no total dos últimos sete dias, ficou em 2.747.
Uma projeção feita pela Universidade de Washington, dos Estados Unidos, aponta que, até 1º de julho, o Brasil pode alcançar a marca de 562,8 mil mortes em decorrência da covid-19.
O estudo, feito pelo Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME), ligado à universidade, prevê três cenários. O número de 562,8 mil mortes refere-se ao cenário mais provável, no qual vacinas são distribuídas sem atrasos, governos determinam novas medidas restritivas com duração de seis semanas toda vez que o número de mortes diárias ultrapassar 8 casos por milhão de habitantes (hoje, esse índice chega a 13), vacinados deixam de usar máscaras somente três meses após a segunda dose, entre outras variáveis.
Em um cenário mais positivo, que considera os mesmos pontos do anterior, mas com a diferença de que 95% da população estaria usando máscaras, o número de óbitos estimado cai para 507,7 mil, o que ainda representaria um salto expressivo de 53,7% no número de vítimas, mas também 55 mil vidas salvas pelo simples uso da proteção facil. A mudança de comportamento, porém, não deverá ser fácil já que a estimativa do IHME é de que, hoje, somente 69% dos brasileiros usem máscara sempre que saem de casa.
Support the show (http://wisir.com.br/planos)

418 episódios