THE NATURAL WAY TO DRAW – exercício 1 – Contornos

14:23
 
Compartilhar
 

Manage episode 264726541 series 2472375
Por Diletante Profissional descoberto pelo Player FM e nossa comunidade - Os direitos autorais são de propriedade do editor, não do Player FM, e o áudio é transmitido diretamente de seus servidores. Toque no botão Assinar para acompanhar as atualizações no Player FM, ou copie a feed URL em outros aplicativos de podcast.
Faça suas compras na amazon por esse link https://amzn.to/2Y1Qq4P Esse é o primeiro exercício da série de exercícios do livro do Kimon Nicolaides. No primeiro post eu falei sobre quem é Nicolaides e qual a linha de pensamento do livro. Se você não viu esse post ele o ponto de partida. Veja aqui. Veja os cronogramas de exercícios aqui. Você pode ver todas as postagens sobre o livro aqui nessa tag. Observação de contornos Objetivo: treinar a observação dos contornos e a conexão entre o olho e a mão Materiais: lápis 3B, com a ponta apontada fina e papel grande (de preferencia pelo menos A3) (sempre 1 desenho por folha). O melhor papel para esse exercício é o papel jornal ou um kraft de baixa gramatura (usar o lado não encerado), pois esses papéis são relativamente baratos.Não usar borracha até o exercício 28 Observações: o exercício é um treino de olhar e paciência, meio uma meditação para desenhistas. O objetivo não é chegar a um desenho “bonito”, nem mesmo compreensível, mas passar o tempo de exercício explorando todo o desenho com muita paciência (no cronograma é possível ver que está reservado tempo de até 60 minutos para um único desenho). Um detalhe muito interessante dessa parte do livro é que o autor faz uma distinção de “contorno” e “entorno/silhueta" (tradução livre). O que ele chama de contorno para fins do exercício não é só as linhas que delimita o todo do objeto desenhado, mas sim todos os recortes visuais que formam linhas que criam planos ou volumes. Para esse exercício o autor desconsidera as sombras. Exercício: pegue uma referência (no tempo do autor as referências eram físicas, um modelo, um objeto que se coloca em uma mesa, hoje em dia a facilidade de acesso a fotos nos leva a esse caminho, mas, sempre que possível, faça o exercício com um objeto real) olhe para ela, foque em um ponto inicial de uma linha de contorno, coloque o lápis no papel e siga a linha com os olhos e com o lápis. Uma sugestão site com referências é o Quick Poses https://quickposes.com A ideia é manter o olhar sempre na referência, sem olhar para o papel e deixar o lápis seguir o caminho que está sendo feito com os olhos. Há uma tendência de ir mais rápido com os olhos, sempre que perder a conexão do olho e da mão foque novamente na linha e “sinta” ela com olhos como se passasse o dedo naquele trajeto. Quando acabar um contorno, escolha outro ponto, olhe para o papel posicione o lápis e recomece a desenhar de novo de forma contínua sem olhar no papel. A questão do exercício não é o resultado, mas o exercício em si, esforce-se ao máximo para não olhar para o papel e manter o olho na referência. Você pode tentar refazer alguns caminhos, para ver se na segunda tentativa consegue um resultado mais interessante. Também pode ser que você note que algumas áreas que tem mais detalhes (por exemplo um pé com os dedos a mostra) fiquem maior do que a proporção esperada. Isso acontece porque a gente tem a tendência de se concentrar mais onde tem detalhe e se apressar nas áreas com uma linha contínua longa. Essa é uma parte do desafio do exercício se concentrar e manter a mesma velocidade do movimento dos olhos e das mãos tanto nas partes com muito detalhes quanto nas partes mais contínuas. Caso não consiga ficar o tempo necessário fazendo o exercício, tente fazer com a mão não dominante (destros com a esquerda, canhotos com a direita). Abaixo a referência que eu fiz e o resultado e o vídeo com o exercício (no vídeo uso um lápis de carvão para que seja possível ver o desenho na câmera). https://youtu.be/XKJBSL5_dKk Esse texto também está disponível no podcast

203 episódios