Artwork

Conteúdo fornecido por Fumaça. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por Fumaça ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.
Player FM - Aplicativo de podcast
Fique off-line com o app Player FM !

[Republicação] Dá-lhe Gás | Ep.4: O vício da Europa (Série)

1:38:15
 
Compartilhar
 

Manage episode 364268602 series 2387866
Conteúdo fornecido por Fumaça. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por Fumaça ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.

A União Europeia passou as últimas décadas a desenvolver uma rede de infraestruturas para permitir que, seja de que fronteira for, consegue importar, armazenar e transportar gás e petróleo e tê-lo à disposição dos Estados-membros e vizinhos. Até ao segundo semestre de 2021, a Federação Russa era responsável pelo abastecimento de cerca de metade do gás consumido nos 27. Mas a invasão da Ucrânia levou a Comissão Europeia a lançar o programa “REPowerEU”, destinado a - cito - “reduzir com celeridade a dependência dos combustíveis fósseis russos e avançar rapidamente com a transição ecológica”. Uma das metas era reduzir o consumo de gás natural em 15% entre agosto de 2022 e março de 2023, quando comparado com a média de consumo dos 5 anos anteriores.O Eurostat, o serviço de estatística da União Europeia, anunciou em meados de abril passado que o objetivo não só foi conseguido, como ultrapassado: a redução de consumo foi de 17.7%.

Embora estes números sejam animadores, numa perspetiva de transição para energias não fósseis, o certo é que o REPowerEU prevê que uma enorme quantidade de dinheiro público seja ainda investido em combustíveis fósseis. Só em gás estão estimadas obras de 10 mil milhões de euros até 2030. Vão construir-se mais terminais de importação e exportação, gasodutos, unidades de armazenamento e regaseificação e haverá ainda apoios a novas infraestruturas para hidrogénio renovável. Alguns destes projetos já estavam em curso mas outros estavam mortos e enterrados e ganharam nova pujança.

Vais ouvir falar de um deles neste quarto e último episódio: o gasoduto Celorico da Beira-Vale de Frades (em Bragança). Quando em 2019 publicámos Dá-lhe Gás, esta obra da REN Gasodutos, que seria a terceira ligação internacional com Espanha, tinha obtido um parecer desfavorável da Agência Portuguesa do Ambiente. Estava chumbada e sem viabilidade comercial.

Mas com a invasão russa da Ucrânia, tudo mudou. O chamado H2med - Corredor de Energia Verde - quer unir Portugal, Espanha e França à rede energética da União Europeia e tem - para já - um custo anunciado de 2,85 mil milhões de euros. Supostamente, a ideia é a de que este corredor transporte hidrogénio e outros gases renováveis ainda que a infraestrutura também esteja a ser preparada e pensada para o transporte de gás fóssil.

Assim, renasceu das cinzas o gasoduto Celorico da Beira-Vale de Frades, que há-de encontrar-se com a rede de gás espanhola em Zamora, e unir-se à europeia quando se construir outra obra mais complexa: o gasoduto submarino entre Barcelona e Marselha. Tudo planeado para estar em funcionamento em 2030.

Embora António Costa, primeiro-ministro, tenha garantido em outubro de 2022, que um novo traçado do gasoduto portugues já estava em avaliação ambiental, não há nenhum procedimento de avaliação ambiental consultável no site da Agência Portuguesa do Ambiente, nem foi aberta qualquer consulta pública sobre o mesmo.

Pequena nota: não te esqueças de que alguns dados que vais ouvir neste quarto episódio estão desatualizados. Segunda pequena nota: lembra-te de colocar auscultadores ou auriculares para aproveitares da melhor forma este capítulo final.

Um abraço.

Ajuda-nos a ser a primeira redação profissional de jornalismo em Portugal totalmente financiado pelas pessoas: https://fumaca.pt/contribuir/?utm_source=podcast+app

See omnystudio.com/listener for privacy information.

  continue reading

436 episódios

Artwork
iconCompartilhar
 
Manage episode 364268602 series 2387866
Conteúdo fornecido por Fumaça. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por Fumaça ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.

A União Europeia passou as últimas décadas a desenvolver uma rede de infraestruturas para permitir que, seja de que fronteira for, consegue importar, armazenar e transportar gás e petróleo e tê-lo à disposição dos Estados-membros e vizinhos. Até ao segundo semestre de 2021, a Federação Russa era responsável pelo abastecimento de cerca de metade do gás consumido nos 27. Mas a invasão da Ucrânia levou a Comissão Europeia a lançar o programa “REPowerEU”, destinado a - cito - “reduzir com celeridade a dependência dos combustíveis fósseis russos e avançar rapidamente com a transição ecológica”. Uma das metas era reduzir o consumo de gás natural em 15% entre agosto de 2022 e março de 2023, quando comparado com a média de consumo dos 5 anos anteriores.O Eurostat, o serviço de estatística da União Europeia, anunciou em meados de abril passado que o objetivo não só foi conseguido, como ultrapassado: a redução de consumo foi de 17.7%.

Embora estes números sejam animadores, numa perspetiva de transição para energias não fósseis, o certo é que o REPowerEU prevê que uma enorme quantidade de dinheiro público seja ainda investido em combustíveis fósseis. Só em gás estão estimadas obras de 10 mil milhões de euros até 2030. Vão construir-se mais terminais de importação e exportação, gasodutos, unidades de armazenamento e regaseificação e haverá ainda apoios a novas infraestruturas para hidrogénio renovável. Alguns destes projetos já estavam em curso mas outros estavam mortos e enterrados e ganharam nova pujança.

Vais ouvir falar de um deles neste quarto e último episódio: o gasoduto Celorico da Beira-Vale de Frades (em Bragança). Quando em 2019 publicámos Dá-lhe Gás, esta obra da REN Gasodutos, que seria a terceira ligação internacional com Espanha, tinha obtido um parecer desfavorável da Agência Portuguesa do Ambiente. Estava chumbada e sem viabilidade comercial.

Mas com a invasão russa da Ucrânia, tudo mudou. O chamado H2med - Corredor de Energia Verde - quer unir Portugal, Espanha e França à rede energética da União Europeia e tem - para já - um custo anunciado de 2,85 mil milhões de euros. Supostamente, a ideia é a de que este corredor transporte hidrogénio e outros gases renováveis ainda que a infraestrutura também esteja a ser preparada e pensada para o transporte de gás fóssil.

Assim, renasceu das cinzas o gasoduto Celorico da Beira-Vale de Frades, que há-de encontrar-se com a rede de gás espanhola em Zamora, e unir-se à europeia quando se construir outra obra mais complexa: o gasoduto submarino entre Barcelona e Marselha. Tudo planeado para estar em funcionamento em 2030.

Embora António Costa, primeiro-ministro, tenha garantido em outubro de 2022, que um novo traçado do gasoduto portugues já estava em avaliação ambiental, não há nenhum procedimento de avaliação ambiental consultável no site da Agência Portuguesa do Ambiente, nem foi aberta qualquer consulta pública sobre o mesmo.

Pequena nota: não te esqueças de que alguns dados que vais ouvir neste quarto episódio estão desatualizados. Segunda pequena nota: lembra-te de colocar auscultadores ou auriculares para aproveitares da melhor forma este capítulo final.

Um abraço.

Ajuda-nos a ser a primeira redação profissional de jornalismo em Portugal totalmente financiado pelas pessoas: https://fumaca.pt/contribuir/?utm_source=podcast+app

See omnystudio.com/listener for privacy information.

  continue reading

436 episódios

Todos os episódios

×
 
Loading …

Bem vindo ao Player FM!

O Player FM procura na web por podcasts de alta qualidade para você curtir agora mesmo. É o melhor app de podcast e funciona no Android, iPhone e web. Inscreva-se para sincronizar as assinaturas entre os dispositivos.

 

Guia rápido de referências