Conteúdo fornecido por Rádio Companhia and Companhia das Letras. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por Rádio Companhia and Companhia das Letras ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.
Player FM - Aplicativo de podcast
Fique off-line com o app Player FM !

#230 - Literatura profética?: uma conversa sobre livros que antecipam e pensam o futuro

1:03:33
 
Compartilhar
 

Manage episode 361862457 series 1295042
Conteúdo fornecido por Rádio Companhia and Companhia das Letras. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por Rádio Companhia and Companhia das Letras ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.
No começo de fevereiro deste ano, um trem com produtos químicos tóxicos descarrilou em Ohio, nos Estados Unidos. O acidente provocou um incêndio, e o incêndio gerou uma fumaça tóxica. Duas mil pessoas tiveram que ser evacuadas da pequena cidade de East Palestine. Seria só mais um desastre entre tantos que assolam o noticiário, não fosse por uma coincidência: um acidente de trem envolvendo a fumaça de produtos tóxicos é exatamente o mote do livro “Ruído branco”, de Don DeLillo. Esse é apenas um dos exemplos dessa literatura "profética" muito presente no cânone literário ocidental. "Complô contra a América", de Philip Roth, foi lançado em 2004 e mostra como a eleição de um outsider da política pode causar estragos ao país. Mais de dez anos depois, em meio à eleição de Donald Trump, foi apontado como uma espécie de prenúncio da ascensão da extrema-direita no mundo. Michel Houellebecq também viu suas obras anteciparem tragédias coletivas: lançou "Plataforma" na mesma semana dos atentados em Bali e "Submissão" no mesmo período do ataque ao jornal Charlie Hebdo. Thomas Pynchon e Cormac McCarthy são autores que pensam a sociedade estadunidense pelos filtros respectivamente da paranoia e da violência. E Emmanuel Carrère faz uma fascinante mescla de vida real e literatura em suas obras. Neste episódio, a Rádio Companhia recebe os críticos literários e ensaístas Camila Von Holdefer e Felipe Charbel para conversar sobre essa literatura que antecipa e pensa o futuro, além de debater alguns possíveis rumos da ficção contemporânea.
  continue reading

295 episódios

iconCompartilhar
 
Manage episode 361862457 series 1295042
Conteúdo fornecido por Rádio Companhia and Companhia das Letras. Todo o conteúdo do podcast, incluindo episódios, gráficos e descrições de podcast, é carregado e fornecido diretamente por Rádio Companhia and Companhia das Letras ou por seu parceiro de plataforma de podcast. Se você acredita que alguém está usando seu trabalho protegido por direitos autorais sem sua permissão, siga o processo descrito aqui https://pt.player.fm/legal.
No começo de fevereiro deste ano, um trem com produtos químicos tóxicos descarrilou em Ohio, nos Estados Unidos. O acidente provocou um incêndio, e o incêndio gerou uma fumaça tóxica. Duas mil pessoas tiveram que ser evacuadas da pequena cidade de East Palestine. Seria só mais um desastre entre tantos que assolam o noticiário, não fosse por uma coincidência: um acidente de trem envolvendo a fumaça de produtos tóxicos é exatamente o mote do livro “Ruído branco”, de Don DeLillo. Esse é apenas um dos exemplos dessa literatura "profética" muito presente no cânone literário ocidental. "Complô contra a América", de Philip Roth, foi lançado em 2004 e mostra como a eleição de um outsider da política pode causar estragos ao país. Mais de dez anos depois, em meio à eleição de Donald Trump, foi apontado como uma espécie de prenúncio da ascensão da extrema-direita no mundo. Michel Houellebecq também viu suas obras anteciparem tragédias coletivas: lançou "Plataforma" na mesma semana dos atentados em Bali e "Submissão" no mesmo período do ataque ao jornal Charlie Hebdo. Thomas Pynchon e Cormac McCarthy são autores que pensam a sociedade estadunidense pelos filtros respectivamente da paranoia e da violência. E Emmanuel Carrère faz uma fascinante mescla de vida real e literatura em suas obras. Neste episódio, a Rádio Companhia recebe os críticos literários e ensaístas Camila Von Holdefer e Felipe Charbel para conversar sobre essa literatura que antecipa e pensa o futuro, além de debater alguns possíveis rumos da ficção contemporânea.
  continue reading

295 episódios

Todos os episódios

×
 
Loading …

Bem vindo ao Player FM!

O Player FM procura na web por podcasts de alta qualidade para você curtir agora mesmo. É o melhor app de podcast e funciona no Android, iPhone e web. Inscreva-se para sincronizar as assinaturas entre os dispositivos.

 

Guia rápido de referências