show episodes
 
Artwork

1
Fundação (FFMS) - Praça da Fundação

Fundação Francisco Manuel dos Santos com Carlos Vaz Marques

Unsubscribe
Unsubscribe
Mensal
 
Todos os anos, no final de Maio, os livros saem à rua na Feira do Livro de Lisboa, adiada por causa da pandemia. Por isso, a Praça da Fundação reinventou-se online. Oiça os debates com autores e especialistas, moderados pelo jornalista Carlos Vaz Marques, e os programas de rádio especiais da Capa à Contracapa moderados por José Pedro Frazão.
  continue reading
 
As conversas são como as cerejas. No regresso a casa, vêm umas atrás das outras. Sempre inesperadas. O pretexto pode ser um livro, um disco, um jogo de futebol... Encontros sempre diferentes num espaço por onde já passaram o Dalai Lama e Caetano Veloso, Xanana e Agustina. Ao fim de seis anos, continuamos a ter encontro marcado, ao fim do dia, com gente que faz a diferença. Pessoal... e Transmissível, com Carlos Vaz Marques.
  continue reading
 
Vivam! O Pergunta Simples é um podcast sobre comunicação. Sobre os dilemas da comunicação. Subscreva gratuitamente e ouça no seu telemóvel de forma automática: https://perguntasimples.com/subscrever/ Para todos os que querem aprender a comunicar melhor. Para si que quer aprender algo mais sobre quem pratica bem a arte de comunicar. Ouço pessoas falar do nosso mundo. De sociedade, política, economia, saúde e educação.
  continue reading
 
Loading …
show series
 
Hoje vamos voar. Sim, seguimos no habitáculo de um avião, especialmente atentos a todas as trocas de palavras que por lá são ditas. Entre pilotos, entre o avião e a torre de controlo ou entre o comandante todos nós que seguimos sentados no papel de passageiros. Senhores passageiros, apertem os cintos, vamos descolar. TÓPICOS & TEMPOS 00:00:00 Intro…
  continue reading
 
Na estante desta semana, há uma reportagem de uma antiga jornalista que voltou à escrita: Francisca Gorjão Henriques traça o retrato de três “Mulheres Refugiadas em Portugal”; há um “Atlas do Comércio Transatlântico de Escravos”, que é uma obra de referência a propósito da indústria da escravatura; há um novo volume (o sexto) do diário do diplomata…
  continue reading
 
É uma estreia: pela primeira vez, um antigo ministro foi condenado em tribunal por corrupção. Uma condenação inevitável, segundo o próprio, porque sem isso o sistema de justiça cairia em total descrédito. Há quem concorde, embora por razões opostas às de Manuel Pinho, o protragonista desta história. Num outro caso político-judicial, um antigo secre…
  continue reading
 
Esta semana, na estante do programa com o nome em banho-Maria, antecipa-se uma efeméride no calendário da próxima segunda-feira. O centenário da morte de Kafka é o pretexto para a edição (e a recomendação) de “K.”, o ensaio de Roberto Calasso dedicado aos autor de O Processo. Assinala-se a edição portuguesa do sexto e último volume da magistral nov…
  continue reading
 
Nunca um ex-presidente americano tinha sido condenado em tribunal. Trump volta a tornar-se pioneiro e ninguém sabe bem que efeito eleitoral isso poderá ter. Nunca o PSD perdeu uma eleição na Madeira. Também não foi desta, embora tenha obtido voltado a obter o pior resultado de sempre. A manter-se o ritmo (lento) a que a redução de votos se está a p…
  continue reading
 
Pouco se falou, esta semana, das eleições na Madeira. Falou-se alguma coisa das eleições europeias. E muito se falou do que pode e não pode ser dito no Parlamento. Surgiram, entretanto, linhas vermelhas até agora inéditas, na Europa: uma extrema-direita que deixou de aceitar outra extrema-direita. Uma coisa é certa: a javardice nos Passos Perdidos …
  continue reading
 
Na estante desta semana, começando pelo mais importante, há uma antologia da poesia de Camões anotada por Frederico Lourenço; um ensaio intitulado “O Médio Oriente e o Ocidente”, demonstrando que aquilo que está a acontecer tem raízes profundas e complexas; a obra de um deputado do Chega que revela quem é esse deputado do Chega; e uma reunião de ar…
  continue reading
 
A 15 de setembro de 2023, no dia em que Cavaco Silva lançou o livro “O Primeiro-ministro e a Arte de Governar”, o autor poderia ter sido o único protagonista. E, mesmo que a divisão do palco não seja o forte do homem que, a seguir a António de Oliveira Salazar, mais anos esteve no centro do poder, naquele dia, Cavaco partilhou as honrarias com uma …
  continue reading
 
O governo aprovou de uma penada três-grandes-obras. Teve a sua semana de glória. E parece que, como por milagre, vai ser tudo à borla. Sem sair um tusto dos cofres do Estado. Quando será isso? Não é para já. Enquanto a coisa não se concretiza, o aeroporto de Lisboa vai crescer, como queria a concessionária. Assim ninguém se aborrece. Nem o PS. Enqu…
  continue reading
 
Na estante desta semana, só com três livros, para se dar lugar também a uma exposição (Spam Cartoon, no Museu Bordalo Pinheiro, em Lisboa), há uma pequena enciclopédia sobre as propriedades da Canábis - Maldita é Maravilhosa; as memórias de um polícia, o responsável por três grandes operações policiais (Apito Dourado, Face Oculta e Aveiro Connectio…
  continue reading
 
A linguagem tem um efeito sobre as pessoas. E as palavras, mesmo que pareçam inócuas, entram na nossa cabeça e produzem uma influência. Afinal, pensamos através das palavras. Os rótulos que metemos na realidade. Palavras, imagens, gestos. Tudo é comunicação. Quando as palavras e as ações se conjugam para o mal, assistimos a crimes que dificilmente …
  continue reading
 
A agenda de Ricardo Salgado não pode ser considerada um objeto pessoal. Não é um diário da intimidade do banqueiro, que o presidente executivo do BES ia escrevendo nas quebras da pesada rotina. Não. A agenda profissional de Ricardo Salgado é o retrato hiper-realista de um país que tarda em desligar-se de homens providenciais. Ao seu jeito, Ricardo …
  continue reading
 
Quem são os santos e os pecadores, na Santa Casa? O caso será apenas de gestão, será uma questão de ordem política ou pode vir a assumir contornos judiciais? As mesmas dúvidas se colocam relativamente ao legado orçamental do governo anterior: Medina maquilhou as contas ou Sarmento está à procura de uma narrativa que permita a Montenegro escapar às …
  continue reading
 
Esta semana, temos na estante uma “História do Mundo” por um prisma ambiental, assinada por Peter Frankopan; Camões relido por Jorge de Sena; as invasões francesas em banda desenhada, num álbum de Ricardo Henriques e André Letria intitulado “Jean, John, João”; e as fotografias de Carlos Gil em mais um documento comemorativo dos 50 anos do 25 de Abr…
  continue reading
 
As perguntas e as respostas fazem parte da nossa vida. E são o motor fundamental para aprendermos coisas novas. Esta edição é sobre os talentos que precisamos de ter para enfrentar o mundo onde nenhuma resposta explica tudo e todas as perguntas valem muito mais que essas respostas. Afinal como aprendemos coisas novas? A nossa maneira de aprender é …
  continue reading
 
Objeto em formato digital, a agenda do banqueiro apenas me chegou e pronto. Não veio embalada em nenhum compromisso, em nenhuma troca, em nenhuma cedência da minha parte. Mas a agenda não era só a agenda. Ela vinha no topo de um pacote virtual com mais de 3 mil ficheiros, alguns com centenas de páginas. Estavam ali 2268 dias da vida do velho banque…
  continue reading
 
As finanças vão de vento em popa ou estão um desastre? Sarmento e Medina desentenderam-se. Nós, os leigos, ainda estamos a tentar perceber a diferença entre contabilidade pública e contabilidade nacional. Outro desentendimento - este, na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa - levou a ministra do Trabalho a despedir a provedora, considerando-a incom…
  continue reading
 
A estante desta semana embarca na aventura de O Ladrão de Arte, a história real do cleptomaníaco francês que tinha a casa cheia de objectos artísticos roubados em museus de toda a Europa, contada com um apurado sentido dramático por Michael Finkel. Também folheamos a correspondência trocada entre José Afonso e o jornalista Rocha Pato, reunida no li…
  continue reading
 
A Agenda de Ricardo Salgado é uma espécie de manual de influência política. Os alicerces da história são construídos ainda na década de 80, quando Mário Soares convida a família Espírito Santo a regressar a Portugal. Em 1986, os Espírito Santo criam um pequeno banco, o Banco Internacional de Crédito. Em 1991, sob a égide de Cavaco Silva e depois da…
  continue reading
 
O povo saiu à rua para honrar a coragem dos capitães da liberdade. Mas no Parlamento, na sessão solene do cinquentenário da Revolução, houve quem optasse por discursos sobre a espuma dos dias. E quem se dedicasse a trocadilhos com a gaivota de uma das canções mais desinteressantes do cancioneiro do 25 de Abril. Mas a semana, no que diz respeito à p…
  continue reading
 
Há muitas formas de contar a história dos últimos 50 anos. O escritor Alexandre Andrade escolheu contá-la por intermédio de vozes anónimas, numa multiplicidade de histórias reunidas no romance “Democracia”. De há 50 anos vem um debate interessante agora revisitado num pequeno livro intitulado “Cristianismo e Marxismo - em debate nos anos 70”, um di…
  continue reading
 
Senhor doutor, o que tenho eu? Senhor doutor, o que me vai acontecer? Em linguagem médica pedimos sempre um diagnóstico. O resumo da nossa condição. E principalmente um prognóstico: com o que posso contar para o futuro. Implicitamente as duas perguntas incorporam uma expectativa, um pedido de ajuda e uma esperança. As duas perguntas resumem-se ao a…
  continue reading
 
Caiu um governo de maioria absoluta, mas afinal parece que não era nada. A montanha pariu um rato. A operação Influencer já influenciou decisivamente a política portuguesa. Entretanto, conlcui-se que as promessas de Montenegro precisam de melhor escrutínio. Afinal, o apregoado choque fiscal foi desencadeado pelo governo de Costa. O novo governo lim…
  continue reading
 
Na estante desta semana, há uma explicação para o crescimento da direita radical na Europa: chama-se O Fim da Vergonha e o autor é o cientista político português de Oxford, Vicente Valentim; lemos também A Estrada, romance notável de Cormac McCarthy, mas na versão de banda desenhada do talentoso Manu Larcenet; atiramo-nos aos Contos Completos de Ma…
  continue reading
 
Hoje falamos sobre a relação entre as empresas e os seus clientes. A maneira como dialoga. Se é que dialogam. Olhando para um mercado, as empresas criam e vendem produtos. E os consumidores compram e usam. Mas esta relação é bastante mais complexa que a mera transação. É uma relação emocional que vive de expectativas, de felicidades ou de amuos. Sa…
  continue reading
 
Na estante do programa a que ainda há quem chame Governo Sombra (nós não, evidememnte, abrenúncio!), temos um alemão que já se tornou português, Thomas Fischer, a anotar os hábitos dos portugueses “Entre Cravos e Cardos”; a reedição de entrevistas de Maria João Avillez com alguns dos protagonistas da Revolução; uma iniciativa do Público dando a con…
  continue reading
 
Loading …

Guia rápido de referências